Blogroll

               

07 agosto 2017

Barcelona-Chapecoense: o "jogo das estrelas"



Alan Ruschel fará seu primeiro jogo desde o terrível 28 de novembro de 2016. E seu renascimento no futebol não poderia ser mais emocionante: ela irá enfrentar o Barcelona de Lionel Messi no Camp Nou, pelo tradicional troféu Joan Gamper.

O clube catalão foi um dos muitos que expressaram solidariedade com a equipe brasileira logo após o avião que transportava a equipe para jogar a final da Copa Sul-americana cair antes de pousar em Medellín (Colômbia). Dos 77 passageiros e tripulantes do avião, apenas seis sobreviveram.

"Devemos agradecer ao Barcelona que sempre nos ajudou. Não só eles, muitas pessoas têm mostrado grande solidariedade e humanidade", disse Ruschel.

Messi jogará pela primeira vez contra a Chapecoense e Ruschel falou sobre essa oportunidade: "Seria um grande presente trocar de camisa com Messi, o melhor jogador do mundo e um dos melhores da história do futebol", disse orgulhosamente.

Ele também gostaria de enfrentar Neymar, mas não será possível após a transferência do atacante conversou Paris Saint Germain. "Teria sido bom ter jogado, eu sou um fã de seu futebol, é um dos melhores do mundo. A escolha é sua e quero ser muito feliz em Paris", disse ele.

Ruschel considerou que o seu regresso "faz com que muitas pessoas felizes" e acredita que "é um sonho jogar no Camp Nou contra o melhor do mundo, um sonho de infância, mas, além disso, a coisa mais importante é ser capaz de jogar de novo". Ele será o capitão da Chapecoense na partida.

"A parte mais difícil da recuperação tem sido a parte psicológica", admitiu o jogador. "Eu recebo todos os tipos de memórias, passou por momentos difíceis e delicadas, mas Deus quis que fosse assim. Parecia impossível, mas aqui estou, vivo e muito grato a Deus", disse ele. "As cicatrizes mais dolorosas são a alma, mas a vida tem que ir".

c