Blogroll

               

06 outubro 2015

Brasil de Pelotas, o Xavante que o Leão tem pela frente. Conheça-os.

A equipe do Arena 303, Rádio Central Interativo, juntamente com o repórter Jackson Crizel, diretamente de Pelotas, destrincharam o Brasil que o Fortaleza irá enfrentar na Série C. O confronto entre as equipes vale vaga na Série B do Brasileiro.

Um pouco da história

O Grêmio Esportivo Brasil é um clube que foi fundado em 1911, como maior conquista tem o título gaúcho de 1919, ficou conhecido no cenário nacional em 1985 ao ficar em terceiro lugar no certame e pelo acidente fatal em 2009, onde faleceram dois jogadores e o preparador de goleiros do rubro-negro, como rivais, o xavante tem o Pelotas e o Farroupilha.

Acidente Fatal

Um fato lamentável marca a história do glorioso Xavante de Pelotas. Um acidente com o ônibus da equipe, em 2009,  matou três pessoas. O transporte que levava a delegação do Brasil de Pelotas de volta à sua cidade no interior gaúcho após amistoso em que venceu o Santa Cruz, na cidade de Vale do Sol, por 2 a 1, despencou de um barranco na cidade de Canguçu. O acidente causou a morte de dois jogadores do time, o atacante Claudio Milar, ex-Botafogo, e o zagueiro Régis Gouveia Alves, além do treinador de goleiros Giovani Guimarães, e deixou dez integrantes da delegação feridos. Claúdio Millar foi e é um dos maiores ídolos da história xavante. Com 110 gols pela equipe, o atacante era festejado por todos os torcedores. Sua morte, teve um impacto muito grande na história do clube.

Claúdio Millar, o uruguaio que conquistou o coração dos Xavantinos.

Torcida apaixonada

A torcida do Brasil de Pelotas é vibrante e faz do estádio Bento de Freitas um caldeirão. A característica da torcida xavante é nunca deixar de cantar em prol do clube. Além disso, os aficionados costumam acompanhar por todo o país a sua agremiação. Lugares como Arena do Grêmio, Boca do Jacaré, Estádio do Café e o Maracanã, já foram "invadidos" pelos apaixonados. Na Arena Castelão, a cena deve se repetir.



Campanha na C e o exemplo de Zimmermann


Nesta Série C, podemos definir o Brasil em dois períodos: Com Alex Amado e sem Alex Amado, com Alex atuando no time, o Brasil disputou 12 partidas e não perdeu nenhuma, após a saída do atacante foram 7 partidas e apenas uma vitória diante do esfacelado time do Tupi na última rodada. O GEB terminou a primeira fase da competição na quarta colocação com 29 pontos sendo 7 vitórias, 8 empates e 3 derrotas. Marcou 30 vezes e sofreu 20 gols. Brasil que tem sua referência maior em seu treinador, Rogério Zimmermann, chegou em 2012, não conseguiu colocar o xavante na elite do gauchão, não avançou de fase na Série D, e perdeu o título da Copa RS para o Juventude, em 2013, as glórias começaram a aparecer, como vice-campeão da copa estadual de 2012, o rubro-negro disputou a copa do Brasil, foi eliminado na primeira fase pelo Atlético/PR, na divisão de acesso do Gauchão, o time foi campeão e no torneio regional, foi vice-campeão sendo superado pelo Pelotas.
O ano seguinte veio e o Xavante estava na elite do gauchão, e chegou com campanha de destaque, sendo terceiro colocado, assim conseguiu uma vaga na Série D, e o acesso veio, porém não foi coroado com título, pois foi derrotado pelo Tombense, alguns jogadores estão no Brasil desde 2012.
Destaques do Brasil: Volantes, Leandro Leite e Washington, meio-campista Diogo Oliveira e atacante Nena, no miolo de zaga destaque para Fernando Cardozo.

Nena é a esperança de gols do GEB. (Imagem: Divulgação GEB)

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

c