Blogroll

               

03 maio 2016

O invicto Horizonte em busca da redenção

Quando o Horizonte caiu para a Série B do Campeonato Cearense muita gente lamentou, pois era um dos únicos times que fazia frente aos grandes da capital. O Galo tem o melhor estádio do interior do estado, estrutura física e uma organização administrativa excelente para um time sem grande torcida. A queda veio em um momento inoportuno, pois mesmo com o acesso quase garantido a primeira divisão, o clube não conseguirá vaga na Série D de 2017 (a CBF deu vaga na Série D 2016 e 2017 para quem disputar esse ano). 
O rebaixamento pareceu apenas um desvio de caminho e com a campanha desse ano, a direção mostra que o clube voltará forte para a Série A do estadual e que a Taça Fares Lopes no segundo semestre é outro grande objetivo do ano.

Classificação da Série B do estadual. (FCF)


Um dos únicos invictos no Brasil, o Galo do Tabuleiro faz campanha impecável na divisão de acesso.
Com 41 pontos, a equipe da Região Metropolitana de Fortaleza precisa de três pontos para garantir a volta para elite cearense. O feito pode ser concretizado na próxima rodada quando enfrenta o Iguatu fora de casa. 

A volta de Roberto Carlos


Roberto Carlos comandou o Horizonte por 4 anos


Em 2015, o Horizonte resolveu mudar sua comissão técnica em busca de vôos mais altos e deixou Roberto Carlos livre no mercado. Após o rebaixamento do clube, a diretoria resolveu apostar na volta do treinador mais vitorioso de sua história. 
Com a volta do técnico, dois planejamentos foram estipulados: a curto prazo é voltar a elite e vencer a Fares Lopes para ganhar vaga na Copa do Brasil e a longo prazo é que o clube pretende subir para a Série C e disputar a Copa do Nordeste. 
A primeira conquista está muito próxima de ser alcançada e com muita folga. O Horizonte tem mais de 91% de aproveitamento em 17 partidas disputadas. 


Aposta na base e no subúrbio

O elenco do Horizonte é formado por jovens da base, jogadores achados no subúrbio e alguns atletas experientes para fazer a mescla, e funcionou. 
No elenco, 17 jogadores formados na base, com idade inferior a 20 anos. Alguns atletas que haviam desistido da carreira e participavam de jogos de futebol amador foram resgatados. Outros jogadores experientes foram contratados para compor o elenco. 
Os destaques ficam por conta de Dudu, autor de seis gols no certame, e dos experientes David ( goleiro, 34 anos, ex-Ceará, Fortaleza e Guaraju), do lateral Ângelo (32 anos, ex-ASA, Brasiliense e Vila Nova) e do zagueiro Cleber Lima (36 anos, base do São Paulo).
Com organização fora de campo, salário em dia e estrutura para os atletas trabalharem, o Horizonte vai dando a volta por cima e isso é um prenúncio de um Galo forte nas próximas competições.



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

c