Blogroll

               

29 junho 2016

Série B: Seleção da 13ª rodada



GOLEIRO: Marcelo Lomba (Bahia)

Muito criticado pela torcida do Bahia devido aos últimos resultados, Marcelo Lomba deu a volta por cima e foi peça importante na retomada do 'Bahêa'. Duas boas defesas e um pênalti defendido trouxeram Lomba para a nossa seleção.

LATERAL-DIREITO: Hayner (Bahia)

Hayner é o desafogo do Bahia pela direita. Com muita velocidade, o atleta chega fácil ao ataque e consegue criar inúmeras oportunidades de gols. Contra o Oeste, foi um dos principais nomes do Bahia no ataque. 

Passes certos: 28
Assistências: 2 para finalizações e 1 para gol.
Desarmes: 5 

ZAGUEIRO: Rafael Pereira (Náutico)

Rafael Pereira vem se notabilizando por sua regularidade e tranquilidade na defesa do Timbu. Contra o Luverdense foi peça chave para segurar o rápido ataque do LEC. 

Passes certos: 25
Desarmes: 2
Intervenções: 7

ZAGUEIRO: Leandro Silva (Paraná)

A surpreendente vitória do Paraná sobre o Vasco por 2x1, se deu muito pelo sólido sistema defensivo. Após Nenê abrir o placar, o Vasco obteve dificuldades para criar oportunidades e um dos nomes desse bloqueio foi o de Leandro Silva.

Passes certos: 14
Desarmes: 2
Intervenções: 8


LATERAL-ESQUERDO: Rafael Estevam (Sampaio Corrêa) 

O Sampaio Corrêa tenta sair da zona de rebaixamento e contra o Tupi, adversário direto, a vitória era mais do que essencial. Com muita vontade, o lateral-esquerdo Rafael Estevam foi nome constante no ataque e ajudando a defesa. Na triunfo, o ala deu um passe para gol.

Passes certos: 39
Assistências: 4 para finalizações e uma para gol.
Desarmes: 3

VOLANTE: Gabriel Dias (Bragantino)

O Bragantino passa por dificuldades na Série B, mas na partida contra o Ceará, o clube paulista foi guerreiro, mesmo sem conseguir a vitória, e um dos pilares da equipe foi o volante Gabriel Dias. O atleta marcou o gol que abriu o placar do confronto. 

Passes certos: 13
Intervenções: 7
Gols: 1

MEIA: Gérson Magrão (CRB)

O CRB entrou no G-4 da Série B com uma grande vitória diante do Joinville, em Santa Catarina. O craque da partida foi o experiente Gérson Magrão que participou dos três gols sendo duas assistências diretas. 

Passes certos: 28
Assistências: 2 para gols.
Desarmes: 3

MEIA: Lucas Sotero (Sampaio Corrêa)

Principal armador do Sampaio Corrêa na vitória sobre o Tupi, Lucas Sotero representa uma esperança pra a torcida da Bolívia Querida. O camisa 10 foi responsável por articular as principais jogadas e ainda marcou um gol olímpico. 

Passes certos: 23
Finalizações: 1
Gols: 1

MEIA: Jorginho (Atlético/GO)

Jorginho foi o grande nome do Atlético/GO na vitória sobre o Criciúma. Além de marcar um belo gol, o meia foi responsável por segurar a bola no ataque e criar outras oportunidades.

Passes certos: 23
Desarmes: 2
Gols: 1

ATACANTE: Itamar (Londrina)

O experiente atacante Itamar fez o único gol da vitória do Londrina diante do Brasil de Pelotas. Além de balançar as redes, o atleta fez outras boas jogadas, além de um drible desconcertante em Weldinho.

Passes certos: 13
Finalizações: 1
Gols: 1

ATACANTE: Hernane Brocador (Bahia)

Ao receber cobrança de lateral rápida de Hayner, chutou por cobertura de Felipe Alves e abriu o placar. No segundo tempo, foi seu o passe para que Zé Roberto liquidasse o jogo.

Passes certos: 13
Assistências: 2 para finalizações e 1 para gol
Gols: 1

O dia em que Afonso Alves e Fábio Rochemback trucidaram o Manchester City


Middlesbrough fazia um campeonato mediano sem riscos de rebaixamento e encerraria sua participação diante do Manchester City, que ainda não era milionário. 


O 'Boro' tinha dois contestados brasileiros no elenco, Afonso Alves e Fábio Rochemback, que vinham de uma temporada mediana no clube. O atacante vinha de temporadas maravilhosas com a camisa do Heereven, da Holanda, e de um título da Copa América pela Seleção Brasileira. 


Pelo clube holandês, Afonso jogou 49 partidas e marcou 48 gols, sendo 7 gols em uma só partida. Na ocasião, o jogo contra o Heracles Almelo terminou 9 a 0. Com os tentos marcados, ele bateu o recorde de Van Basten, que havia feito seis.

Após esse sucesso e sua passagem na seleção canarinha, o atacante se transferiu para a Inglaterra. O Boro pagou € 17 milhões por Afonso Alves, sendo o jogador mais caro da história do clube, na época. 

O atacante nem começou tão mal no primeiro semestre de 2008, com seis gols em 11 jogos de Premier League. Três deles foram marcados na goleada por 8 a 1 sobre o Manchester City.

Já Rochemback, chegou com fama de craque e comparado ao meia ex-Vasco da Gama e PalmeirasJuninho Paulista, que brilhou no clube no começo da década. Passagens por Barcelona e Sporting, valorizaram seu currículo para os ingleses. Após um começo inspirador na temporada 04/2005, com um vice da Copa da UEFA (atual Liga Europa), o meia voltou a sofrer com lesões que o atrapalharam muito na Inglaterra. 

8x1, fora o baile

Era final de temporada e o Middlesbrough  já pensava na próxima. O jogo contra o City era mais um e não teria importância alguma, mas teve. O Boro venceu por 8x1 e a goleada é lembrada até hoje pelos torcedores. 

O destaque da partida foi o atacante Afonso Alves. Ele marcou nada menos que três gols do Middlesbrough na partida, um no primeiro tempo (aos 37min) e outros dois na etapa complementar (aos 15min e 45min). O meio-campista Fábio Rochemback marcou outro para os donos da casa, com 35min do segundo tempo. Downing (2), Johnson e Aliadiere completaram a goleada. 
Elano descontou para os visitantes. 

Middlesbrough: Schwarzer, Young (McMahon 75), Riggott, Wheater, Pogatetz, Boateng, Rochemback, Arca (Johnson 62), Downing, Sanli (Aliadiere 62), Alves.
Subs Not Used: Turnbull, Taylor.

Man City: Isaksson, Jihai, Corluka, Dunne, Ball, Ireland, Gelson, Petrov (Elano 71), Garrido, Vassell (Hamann 62), Mwaruwari (Castillo 13). 
Subs Not Used: Hart, Caicedo.





Gols: Downing 16 pen, Alves 37, Downing 58, Alves 60, Johnson 70, Rochemback 80, Aliadiere 85, Alves 90.

27 junho 2016

Série A: Seleção da 11ª rodada


GOLEIRO: Victor (Atlético/MG)

O Galo segue se reabilitando na tabela e um dos responsáveis é o goleiro Victor. Após ter voltado de contusão, o arqueiro falhou algumas vezes, mas já recuperou o bom futebol e foi essencial a vitória do Atlético/MG sobre o América/MG.

LATERAL-DIREITO: Léo (Atlético/PR)

Contra o Grêmio, o Atlético/PR fez sua melhor apresentação na temporada. Um dos melhores jogadores da partida foi o lateral Léo. Com sua velocidade, foi o ponto forte do Furacão na vitória por 2x0 diante dos gaúchos.

ZAGUEIRO: Bruno Alves (Figueirense)

O Figueira tropeçou dentro de casa, mas um dos responsáveis pela equipe não ter tomado gols foi o zagueiro Bruno Alves. Muito seguro e sempre orientando os colegas, Bruno segurou o ataque do Coritiba.

ZAGUEIRO: Thiago Heleno (Atlético/PR)

Dentro de casa, o Atlético/PR costuma se impor e não foi diferente diante do Grêmio. Sem tomar gols e com a "dureza" de sempre, Thiago Heleno segurou o bom ataque tricolor.

LATERAL-ESQUERDO:  Rodney Wallace (Sport)

O Sport atropelou a Chapecoense neste domingo. Improvisado na lateral esquerda, Rodney abriu o placar no início do jogo com um golaço. O jogador escapou pela esquerda e, mesmo sem ângulo na linha de fundo, cruzou para a área e acabou encobrindo o goleiro da Chape. No 2º tempo, Rodney ainda marcou mais um. Em contra-ataque rápido, Rodney recebeu na esquerda e bateu cruzado para fazer o terceiro do Leão.  

VOLANTE: Hernani (Atlético/PR) 

 Um dos pilares do Atlético/PR na temporada, Hernani fez grande partida contra o Grêmio e foi coroado com um golaço. Desarmes, força e velocidade marcaram a partida do volante frente aos tricolores e colocou o Furacão próximo ao G4.

VOLANTE: Rithely (Sport)

O Sport vai encaixando seu futebol e um dos responsáveis desse volta por cima do leão é o bom volante Rithely. Com sua marcação implacável, foi peça fundamental na vitória por 5x1 diante da Chapecoense. Ainda marcou um gol.

MEIA: Diego Souza (Sport)

Embalado, o meia segue sendo o maior destaque do Leão. Com um golaço, "Showza" coroou sua ótima atuação frente aos catarinenses e mostra que o Sport pode evoluir muito mais. 

MEIA: Lucas Lima (Santos)

O craque da rodada bailou em campo diante do São Paulo. Com dribles desconcertantes, assistência para gol e uma PINTURA no clássico, o meia mostra que pode crescer ainda mais com o time santista.

ATACANTE: Neilton (Botafogo)

O Botafogo surpreendeu o Internacional e venceu o Colorado por 3x2 dentro do Beira Rio. Um dos grandes destaques do Fogão foi o atacante Neilton, com jogadas envolventes, inclusive marcando um gol.

ATACANTE: William Bigode (Cruzeiro)

Assim que a bola rolou, o Verdão até abriu o placar com Gabriel Jesus, mas a Raposa virou com Willian ‘Bigode’ e cravou mais três pontos. O artilheiro voltou a balançar a rede e foi muito decisivo.

TÉCNICO: Ricardo Gomes (Botafogo) 

Uma vitória inesperada, mas cheia de méritos para Ricardo Gomes. Encurralou o Inter em seu plano tático e apostou nos contra ataques puxados por Neilton. A estratégia deu certo e o Fogão levou três pontos para General Severiano. 


Seleção da Copa América Centenário

A Copa América Centenário acabou e chegou a hora de eleger os destaques da competição que reuniu 16 seleções, terminando com o Chile campeão.

Confira abaixo a nossa seleção:

Seleção Copa América Centenário
GOLEIRO: Claudio Bravo (Chile)

O goleiro e capitão chileno, velho conhecido de Messi (jogam juntos no Barcelona) foi um dos principais destaques da seleção campeã da américa. Aos 33 anos, Bravo foi fundamental para o título com sua experiência e qualidade técnica. Incontestável.

LATERAL-DIREITO: Mauricio Isla (Chile)

Aos 28 anos, o lateral do Olympique de Marseille e da seleção chilena mostrou regularidade durante toda a competição, ajudando forte sistema defensivo da sua equipe.

ZAGUEIRO: Gonzalo Jara (Chile)

Outro titular da defesa chilena que entrou na seleção da Copa América, Jara é um zagueiro considerado baixo para os padrões atuais da sua posição (1,78m). Ainda assim, é sempre complicado vencer o camisa 18 do Chile. Sempre com muita raça, o zagueiro da Universid de Chile é conhecido por chegar firme e dar trabalho para os atacantes adversários. 

ZAGUEIRO: Nicolás Otamendi (Argentina)

O zagueiro do Manchester City é o principal defensor de sua seleção. Com qualidade no passe e boa impulsão no jogo aéreo, Otamendi costuma salvar bastante a sua seleção, além de, vez por outra, marcar seus gols.

LATERAL- ESQUERDO: Frank Fabra (Colombia)

Um dos poucos "intrusos" desta seleção formada em grande maioria por jogadores de Chile e Argentina, Fabra se destacou na lateral colombiana e foi importante para a chegada de seu país às semi-finais.

MEIO-CAMPO: Javier Mascherano (Argentina)

Mais um jogador do Barcelona nesta seleção, Mascherano é o símbolo de raça da seleção comandada por Tata Martino. É o jogador responsável pela sustentação do meio campo argentino, sempre seguro e firme na marcação. 

MEIO-CAMPO: Arturo Vidal (Chile)

Junto com Aránguiz,  Vidal comanda o meio campo chileno, sendo a referência técnica do time de Juan Antonio Pizzi. Com liberdade para atacar, o meio campo fez dois gols na competição, ajudando sua seleção a chegar ao título. 

MEIO-CAMPO: James Rodriguez (Colombia)

Outro colombiano nesta seleção, James Rodriguez conduziu sua equipe às semi-finais, marcando gols (2), inclusive. O meia colombiano de 24 anos foi principal jogador da terceira colocada da Copa América.

ATACANTE: Lionel Messi (Argentina)

Apesar de não conseguir levar a sua seleção ao título da américa, Messi foi um dos grandes destaques da competição, sendo o vice-artilheiro com 5 gols marcados. Com toda sua genialidade, o capitão argentino marcou um dos gols mais bonitos da Copa América.
ATACANTE: Alexis Sanchez (Chile)

Outro destaque da seleção campeã, Sanchez foi importantíssimo na campanha do título. Formando dupla de ataque com Eduardo Vargas, o atacante do Arsenal(ING) marcou 3 gols na competição. 

ATACANTE: Eduardo Vargas (Chile)

Se tem um jogador que aproveitou bem a Copa América Centenário para se valorizar, este é Eduardo Vargas. O artilheiro da competição com 6 gols marcados, demonstrou mais uma vez que tem faro de gol. Atualmente no Hoffenheim (ALE), Vargas pode entrar na mira de grandes clubes nesta janela de transferências.

TÉCNICO: Rafael Dudamel (Venezuela)

A Venezuela foi a grande surpresa da competição. Mesmo com suas limitações, eliminou o Uruguai e mostrou que pode evoluir ainda mais. Graças a Dudamel, os venezuelanos tem um padrão tático e jogam com ofensividade.

Gostou da  nossa seleção da Copa América Centenário? Opina aí, torcedor!

Série B: Seleção da 12ª rodada



GOLEIRO: Martin Silva (Vasco) 

Contra um time bem ofensivo, o Vasco sofreu alguns sustos do CRB, mas o time alagoano parou em Martin Silva. O arqueiro foi um dos responsáveis pelo triunfo cruz-maltino. 

Defesas: 4

LATERAL-DIREITO: Eduardo (Ceará)

O Ceará vem em franca ascensão na Série B, com isso já ocupa o segundo lugar na tabela. Um dos que evoluíram com o tempo, foi o lateral Eduardo. Contra o Náutico, fez o seu papel defensivamente e marcou o gol que abriu a vitória.

Passes certos: 23
Cruzamentos: 5
Desarmes: 1

ZAGUEIRO: Everton (Luverdense)

 Se não fosse o gol do Londrina, Everton teria feito uma partida impecável contra o Tubarão. Com um desarme e várias intervenções, o defensor foi um dos destaques da vitória do LEC.

Passes certos: 10 
Desarmes: 1
Intervenções: 5
Rebatidas: 17

ZAGUEIRO: Bruno Silva (Oeste) 

Em um time compacto, o zagueiro precisa ter qualidade para sair jogando e foi isso que Bruno Silva fez. Passes precisos e tranquilidade na saída fortaleceram o setor do Oeste. Marcação forte e qualidade na saída foram a tônica do defensor na partida. 

Passes certos: 127
Desarmes: 0
Intervenções: 4
Rebatidas: 5

LATERAL-ESQUERDO: Paulinho (Luverdense) 

A válvula de escape do Luverdense é o lateral-esquerdo Paulinho. Com uma chegada forte ao ataque, o ala foi nome certo no ataque durante vários momentos da partida. 

Passes certos: 39
Desarmes: 2
Intervenções: 6
Cruzamentos: 2

VOLANTE: Richardson (Ceará)

Força, velocidade e qualidade técnica são as principais características de Richardson. Na frente da zaga alvinegra, passa tranquilidade na marcação e tem qualidade para chegar ao ataque. 

Passes certos: 20
Desarmes: 2
Intervenções: 7
Rebatidas: 2

MEIA: Wescley (Ceará)

Depois de marcar o gol da vitória na última rodada, Wescley deu uma linda assistência para o gol de Bill e ainda sofreu o pênalti que Rafael Costa perdeu. Enquanto teve gás foi um dos principais jogadores alvinegros. 

Passes certos: 13
Assistências: 1 para gol e 2 para finalizações.
Desarmes: 2

MEIA: Andrezinho (Vasco)

Fez uma partida segura e foi muito importante na criação e na recomposição do meio-campo do Vasco. Com uma pintura de gol olímpico, Andrezinho carimbou a vaga em nossa seleção.

Passes certos: 45
Desarmes: 1
Gols: 1

ATACANTE: Robson (Paraná)

Fez o único tento da vitória em cima do Joinville no último sábado, além de marcar todas as saídas de bola do adversário.

Passes certos: 10
Finalizações certas: 2
Gols: 1

ATACANTE: Hugo (Luverdense)

Faz algumas rodadas que vem sendo o jogador mais decisivo do Luverdense. Habilidoso e veloz incomodou os zagueiros adversários e ainda mostrou faro de gol para deixar sua marca.

Passes certos: 13 
Finalizações: 4
Gols: 1

ATACANTE: Vandinho (Vila Nova)

Entrou no clássico contra o Goiás e empatou a partida aos 47 minutos do segundo tempo. Se movimentando bastante, o atacante foi premiado pela luta.

Passes certos: 1
Finalizações: 1
Gols: 1

TÉCNICO: Rogério Zimmerman (Brasil)


O Brasil faz campanha surpreendente até o momento na Série B. Muito do bom desempenho do time gaúcho tem o dedo do treinador. Marcação forte e obediência tática são as principais características da equipe. 



26 junho 2016

Os 48 anos da lenda Maldini

Quase todo dia é aniversário de um jogador conhecido, seja nacionalmente ou mundialmente, porém, o aniversariante de hoje merece todo o destaque especial, afinal de contas às suas conquistas o credencia a ter esse holofote. Paolo Cesare Maldini, ou como os rossoneri o chamam, Il Capitano, comemora neste 26 de junho, 48 anos de vida.
Embora tenha nascido em Milão, Paolo, quando criança, era torcedor da Juventus. Mas após muita insistência de seu pai, o também ídolo milanista, Cesare Maldini, o jovem acabou indo para lado rossonero da força e ingressou nas categorias de base do Milan em 1978, sendo chamado para o time profissional em 1985, onde ficou por longos e vitoriosos 25 anos.

Com a camisa Rossonera, Paolo Maldini conquistou 7 Italianos, 5 Supercopa da Itália, 1 Copa da Itália, 5 Supercopa Europeia, 2 Copa Intercontinental, 1 Mundial de Clubes da FIFA e 5 Champions League, sendo  902 jogos disputados e 33 gols marcados.

Pela Squadra Azzurra disputou as Copas de 1990, 1994 (sendo vice-campeão), 1998 e 2002. Chegou a ser convidado para disputar a Copa do Mundo de 2006, mas, com 38 anos,  preferiu não aceitar para poder ter um tempo maior na sua recuperação física. Maldini disputou também três Eurocopas nos anos de 1988, 1996 e 2000 (sendo vice-campeão).

Além dos títulos em equipe, Paolo Maldini ostenta vários títulos individuais, entre os mais importantes estão o de Melhor Defensor Central de Todos os Tempos e o de Segundo Melhor Jogador do Mundo em 1995.

Paolo se aposentou no dia 31 de maio de 2009 e sua camisa, a de número 3, foi aposentada junta e só será utilizada de volta quando um de seus filhos herdá-la.


Apesar do Milan ter outros grandes ídolos como Baresi, Cesare, Shevchenko e Kaká, é indiscutível dizer que Paolo Maldini é o maior de todos e que para os Rossoneri, hoje é natal.

Tanti Auguri e Grazie per Tutto, Capitano!

O significado do título da Copa América para Argentina e Chile



Para quem significa mais ser campeão da histórica Copa América ? A competição chegou a sua centésima edição neste ano e tem um significado especial para quem levar o título. 
Argentina e Chile repetem neste domingo em Nova York a final da Copa América do ano passado, disputada no Chile. Naquela ocasião, empataram sem gols no tempo normal e na prorrogação, e os anfitriões se sagraram campeões nos pênaltis (4 x 1).
Os argentinos irão a campo tentando quebrar um tabu de 23 anos sem grandes títulos e os chilenos querem se consolidar como uma grande força do continente. 
Apesar do pouco tempo desde a última decisão, as duas seleções passaram por mudanças importantes. Desde o fim do ciclo de técnico e jogadores, passando por novas caras de ambos os lados até o novo momento vivido por alguns jogadores.
No Chile, a grande mudança foi no comando técnico. Jorge Sampaoli deixou o cargo dos atuais campeões da América e acertou com o Sevilla. Em seuposto, assumiu Juan Antonio Pizzi, que continuou com  a característica do domínio da posse de bola, mas verticalizou mais o jogo chileno e busca o ataque incessantemente.
Na Argentina, Tata Martino superou a fase turbulenta e deu seu padrão de jogo a equipe, além disso conta com grande fase de Messi e Híguain, entretanto, abdicou de Tevez com a camisa argentina. 

Guerra das Malvinas

Além do título, os argentinos querem se vingar da derrota ano passado, entretanto muitos levam outros aspectos para esse jogo. 
O olhar portenho em relação ao Chile é carregado de ódio há 34 anos, desde a aliança Pinochet/Thatcher para matar os argentinos na Guerra das Malvinas.
Os 'hermanos' chamam os chilenos de traidores e em resposta, na Copa América do ano passado, os chilenos vaiaram o hino argentino e agrediram a família de Messi. 



Gerações de Ouro

O título para os argentinos significa muito mais que uma quebra de tabu, mas vale para coroar uma geração genial de atletas. Nas categorias de base, os 'hermanos' conquistaram tudo que podiam e deviam.  Três taças do Mundial sub-20 e mais uma do Sul-Americano sub-17, além de um bicampeonato das Olimpíadas. 
Nos Jogos Olímpicos de Pequim , no time comandado, por Sergio Batista, figuravam ainda Messi, Aguero, Mascherano, Lavezzi, Banega e o goleiro Sergio Romero.
No Chile, muitos consideram a atual geração como a mais talentosa do país. Sanchez, Vargas, Vidal e Bravo comandam os chilenos e buscam mais um título de expressão para o país.

Caminho para a final

As duas seleções estiveram no mesmo grupo na Copa América. Logo na estreia, o confronto que reeditava a final do ano passado, Chile x Argentina. Os argentino venceram por 2x1 e jogaram a pressão para o lado chileno. 
Na segunda rodada, Vidal salvou o Chile de uma eliminação precoce ao fazer os dois gols da vitória sobre a Bolívia sendo um aos 48 minutos do segundo tempo em um pênalti polêmico.
Pelo lado argentino, uma goleada por 5x0 sobre o Panamá deram tranquilidade para Tata Martino. Messi fez um hat trick e carimbou a vaga na segunda fase.
Na terceira rodada, o Chile precisava vencer o Panamá para garantir a vaga nas quartas, mas como muitos erros defensivos teve dificuldades para passar por 4x2 sobre os panamenhos.
Enquanto a Argentina fez 3x0 na Bolívia sem muito esforço.
Nas quartas de final, o Chile foi enfrentar o México sob desconfiança, pois os mexicanos vinham demonstrando um futebol vistoso. Entretanto, o Chile massacrou o México por 7x0 e decretou a maior derrota mexicana em uma partida oficial. Com o massacre, os chilenos se classificaram para enfrentar a Colômbia. 
A Argentina tinha pela frente a surpreendente Venezuela, que havia deixado o Uruguai para trás. Em um jogo aberto e cheio de oportunidades, prevaleceu a qualidade dos argentinos e uma 4x1 deu a vaga na semi-final.
Nas semi final, o Chile teria um confronto equilibrado com a Colômbia, mas em apenas 10 minutos liquidaram a partida e avançaram com um convincente 2x0.
Os argentinos carimbaram a vaga ao vencer os donos da casa por 4x0. Sem muita força, aplicaram um baile em solo americano e foram aplaudidos pelos adversários. 
Messi voltou a exibir um grande futebol e converteu uma falta com especial maestria. Com esse gol, superou Batistuta e virou o maior artilheiro da seleção argentina com 55 gols. 




25 junho 2016

Os grupos das Eliminatórias da África para a Copa do Mundo

Faltam menos de dois anos para a Copa do Mundo na Rússia em 2018, dessa forma, as eliminatórias já começam a tomar forma e encaminhar quem serão os classificados para o mundial. Na última sexta-feira (24), a Confederação Africana de Futebol sorteou os grupos das suas eliminatórias e dois dos cinco que estiveram no Brasil estarão fora da Rússia. O grupo B colocou frente a frente: Zâmbia, Camarões, Argélia e Nigéria e só um garante a vaga.São cinco chaves de quatro times e apenas o primeiro colocado classifica-se para a Copa.


No grupo A, Tunísia, Líbia, República Democrática do Congo e Guiné disputarão a vaga no Mundial. Os tunisianos são os mais experientes em copas com quatro participações e o RD Congo participou em 1974, ainda como Zaire. No grupo B, é o famoso grupo da morte. Como falamos, coloca três das equipes mais vencedoras do continente e que estiveram na última copa. Zâmbia, campeã da Copa das Nações Africanas em 2012 completa a chave. Na chave C, Gabão, Mali, Costa do Marfim e Marrocos fazem um grupo equilibrado e cheio de estrelas. Pelo Gabão, Aubameyang comanda a seleção e tenta estrear em mundiais. Mali tentará surpreender com a geração que foi terceira colocada no Mundial sub-20 e Marrocos tenta voltar a disputar uma copa que não acontece desde 1998. A Costa do Marfim aposta em Yaya Touré para disputar mais um Mundial. O grupo D tem Senegal,  África do Sul, Burkina Faso e Cabo Verde e vai levar uma seleção não tão qualificada ao Mundial. Os senegaleses são comandados por Aliou Cissé, capitão do time sensação de 2002. No grupo E, Gana, Egito, Congo e Uganda vão buscar a vaga, mas o favoritismo são dos ganeses. 

Os jogos começam em 3 de outubro.
Grupo A
Tunísia, Líbia, República Democrática do Congo e Guiné
Grupo B
Zâmbia, Camarões, Argélia e Nigéria
Grupo C
Gabão, Mali, Costa do Marfim e Marrocos
Grupo D
Senegal,  África do Sul, Burkina Faso e Cabo Verde
Grupo E
Gana, Egito, Congo e Uganda

24 junho 2016

Série A: Seleção da 10ª rodada



GOLEIRO: Alex Muralha (Flamengo) - 8,0

O arqueiro fechou o gol, durante toda a partida, por várias vezes ficou cara a cara com Grafite e com os outros atacantes do time da casa, mas não deixou nenhuma bola passar para dentro do gol. 

LATERAL DIREITO: Mayke (Cruzeiro) - 7,0

A Raposa surpreendeu a Ponte Preta com uma goleada por 4x0, no Moisés Lucarelli, e parte do resultado foi construído após jogadas de Mayke. No primeiro tempo, roubou a bola de Clayson e deu cruzamento preciso para Arrascaeta marcar o segundo dos quatro gols cruzeirenses no Majestoso. 

ZAGUEIRO: Paulo André (Atlético/PR) - 7,5 

O Atlético/PR conseguiu um bom resultado dianto da Chapecoense, fora de casa, e um dos responsáveis foi o seguro Paulo André, que anulou Bruno Rangel. 

ZAGUEIRO: Durval (Sport) - 7,5

Sem risadinha e com muito futebol, Durval segurou o 0x0 contra o São Paulo dentro do Morumbi. Seguro e com a experiência de sempre, fez uma partida para figurar em nossa seleção.

LATERAL ESQUERDO: Diego Renan (Vitória) - 7,0

O ala tirou a marcação gremista e fez um levantamento primoroso, na cabeça de Kieza para abrir o marcador. Seis minutos depois, Diego Renan foi para a cobrança de pênalti e abriu 2 a 0 para o Leão. Como é ambidestro, está na nossa seleção como lateral esquerdo.

VOLANTE: William Arão (Flamengo) - 7,5

Após alguns jogos de irregularidade, Arão voltou a ser a pilha do Flamengo. Com uma saída de bola rápida e uma forte chegada ao ataque, Arão fez o gol da vitória do rubro-negro contra o Santa Cruz,

MEIA: Cazares (Atlético/MG) - 8,0

Após voltar da Copa América Centenário, Cazares vem mostrando o futebol que fez o Atlético investir nele. Rápido e versátil, o meia marcou o segundo gol na vitória sobre o Corinthians.

MEIA: Arrascaeta (Cruzeiro) - 8,5

Arrascaeta marcou dois gols na goleada celeste sobre a Ponte Preta, por 4 a 0, em Campinas, na última quarta-feira. No primeiro, aproveitou cruzamento rasteiro de Mayke e tirou de João Carlos. Depois, mostrou categoria em cobrança de pênalti.

ATACANTE: Gabigol (Santos) - 9,0

Mais uma grande partida do jovem astro santista. Com dois belos gols diante do Fluminense, o atacante foi decisivo na vitória do Peixe.

ATACANTE: Gabriel Jesus (Palmeiras) - 9,0 

Sob olhares do Barcelona, Gabriel Jesus encantou e fez os dois gols da vitória palmeirense sobre o América/MG. Mesmo caçado em campo, o jovem conseguiu fazer uma grande partida.

ATACANTE: Roger Guedes (Palmeiras) - 8,0

Fred, Rodrigão e Marco Júnior poderiam figurar nessa posição pelos gols marcados na rodada, mas foi Roger Guedes que encantou a crítica. Com jogadas de efeito e duas assistências, a jovem promessa cativou a vaga na seleção.

TÉCNICO: Paulo Bento (Cruzeiro) - 7,5

Aproveitou as fragilidades da Ponte Preta para enfiar 4x0, fora de casa, além disso soube explorar a volta de Mayke ao time titular e centralizou as principais jogadas sobre Arrascaeta. 

Os impactos no futebol inglês com a saída do Reino Unido da União Europeia

Em decisão histórica, o Reino Unido optou por deixar a União Europeia (UE) em referendo realizado na quinta-feira. Com 52% dos votos, os britânicos votaram pelo 'brexit' (trocadilho com a palavra “Exit”, que significa saída), a saída do bloco, contra 48% para a permanência na UE.
Desde a sua entrada, em 1973, o Reino Unido passou por várias polêmicas com o bloco econômico até chegar à separação.

As negociações de saída ainda não têm previsão de início, mas deverão ser complexas, pois envolvem a rescisão de tratados internacionais, como o de Lisboa, e, sobretudo de legislação interna britânica. Para começar, o Parlamento britânico precisa derrubar os atos que dão prioridade à lei europeia sobre a britânica.
O negócio é tão complexo que uma separação completa pode durar anos. Para se ter uma ideia da complexidade, há pelo menos 80 mil páginas de acordos entre o Reino Unido e a União Europeia.
 


Todos os mercados serão afetados, inclusive o do futebol, pois o valor da Libra (moeda local) caiu sendo o menor valor desde 1985. A negociação dos direitos televisivos, marketing, atletas e tantos outros trâmites financeiros serão diretamente afetados.
A queda de mercado por conta da saída do bloco deve-se a incerteza que os investidores devem ter com os novos modelos de negócios que serão adotados no Reino.
Uma das mudanças que podem ser adotadas no futebol é a liberação de visto para estrangeiro. Antes da saída da UE, jogadores com o passaporte europeu tinha o livre direito de atuar na Premier League e qualquer liga inglesa. O que pode acontecer é que isso pode continuar ocorrendo, mas é muito difícil por ser um processo xenofóbico e anti-imigração. Mais de 300 atletas não satisfazem os critérios para visto de trabalho no Reino Unido. Outra mudança na negociação de atletas, seria que os clubes ingleses não poderiam contratar jovens jogadores entre 16 e 18 anos, porque as regras da FIFA impedem que menores de idade sejam contratados por clubes de outros países, mas a legislação da União Europeia libera a circulação de pessoas dessa faixa etária. Além dessas observações, com a queda da libra referente ao euro, os clubes ingleses que quiserem contratar terão que pagar mais caro. Por exemplo, a última cotação, o Borussia Dortmund pedia 40 milhões de euros pelo Mkhitaryan ao Manchester United que dava cerca de 31 milhões de libras. Com a queda da moeda, esses mesmos 31 milhões só pagariam 37,5 milhões de euros.

A escolha pelo“Brexit” também deixa jogadores da própria Premier League mais baratos para eventuais saídas, em transferências para outros países.



Enfim, a saída do Reino Unido foi vencida em plebiscito e passará pelos tramites burocráticos para ser vigorada. O que virá pela frente para o futebol inglês ainda é uma incógnita, mas já deixa todo mundo atento.  
Valor de mercado dos clubes ingleses caíram. (One Football)

c