Blogroll

               

28 julho 2016

Olimpíadas Rio 2016: Grupo A

Neymar é o principal nome do Brasil para os jogos

Os jogos olímpicos começarão no próximo dia 4 de agosto, e o futebol será a primeira competição a iniciar as atividades do evento, a partir de hoje iremos preparar um guia sobre todas as seleções da competições, iremos falar grupo por grupo.

O anfitrião Brasil, é sem dúvidas, é o mais forte time da disputa e tem a obrigação de enfim conseguir a medalha de ouro para o país. O grupo A será formado por: Brasil, África do Sul, Iraque e Dinamarca. 

Grupo A

Brasil: A medalha de ouro tem escapado ao longo dos anos das equipes brasileiras. Isso acaba atrapalhando a concentração do time para as disputas dos jogos, porém este ano o elenco brasileiro é um dos mais fortes de toda a sua história e conta com o fator casa para mudar a sina de não vencer a competição. Rogério Micale, substituto de Dunga, já anunciou o plantel, com grandes nomes e três jogadores acima do limite de 23 anos: Fernando Prass (Palmeiras), o meia Renato Augusto (Beijing Gouan) e Neymar (Barcelona). O maior nome da lista é Neymar, o atacante do Barcelona chega, talvez, no auge de sua forma física e técnica e será a principal arma do Brasil na disputa.

Veja a lista completa





África do Sul : Os sul africanos conseguiram usar os dois únicos jogadores que atuam fora do país, que são: Lebogang Mothiba (Lille, França) e Lebogang Phiri (Brondby, Dinamarca). Eles participaram da COSAFA e jogaram um amistoso na Copa Kirin com o Japão (perderam por 4-1).

Veja a lista completa




Iraque: A maioria dos jogadores vivem no Iraque. "Eu só deixei meu país para jogar futebol. Eu só conheço algumas coisas do Brasil pelo que eu vi no Youtube", disse o atacante Ayman Hussein, que marcou a classificação para os jogos e fez história para o seu país.

Veja a lista completa





Dinamarca: O principal jogador dinamarquês é Emil Larsen (acima dos 23 anos) do Columbus Crew, MLS. A Dinamarca fez vários amistosos preparatórios, incluindo uma vitória por 6-2 contra a Nigéria.


Veja a lista completa



27 julho 2016

O Atlético Nacional campeão da Libertadores de 1989



Aproveitando o fato do Atlético Nacional está na final da Libertadores, após 21 anos, nós iniciaremos uma série sobre a história do narcotráfico no futebol colombiano, já que a segunda temporada de Narcos (série produzida pela Netflix para falar de Pablo Escobar) irá ao ar dia 02 de setembro. 



Atlético Nacional Campeão da Libertadores em 1989
Atlético Nacional campeão de 1989


No ano de 1989, o Atlético Nacional sagrou-se a primeira equipe colombiana a vencer a Taça Libertadores da América, o feito foi sobre o Olímpia do Paraguai.

Enquanto os Irmãos Orejuela se envolviam com o América de Cáli e Gacha com Millonarios (de Bogotá), Pablo Escobar assumia, pelas sombras, o comando do Atlético Nacional. Apesar dos especialistas dizerem que o narcotraficante torcia para Indiependente de Cali, para 'Pablito, o importante era o poder, e no Atlético ele poderia fazer isso. 

Os times colombianos não eram postulantes a títulos sul-americanos ou brigavam por boas classificações, mas tudo mundo com a injeção de dinheiro dos traficantes.  Com os irmãos Orejuela, no comando do América de Cali, o dinheiro investido era muito maior que qualquer clube que disputava a maior competição do continente. Com isso, o América de Cali chegou às lideranças do campeonato da Colômbia e o venceu por cinco anos consecutivos, entre 1982 e 1986. Por classificações através do torneio local, alcançou o vice da Libertadores em 1985, 1986 e 1987, até os irmãos largarem o clube. 

O primeiro título colombiano de uma competição continental foi nas mãos de Pablo Escobar, com o Atlético, na Libertadores de 1989, como citamos anteriormente. 

O Nacional, ao contrário do América, não procurou investir em grandes nomes do exterior, montando um time com os melhores jogadores locais, entre eles Leonel Álvares, Rene Higuita e Andrés EscobarChegou a receber a alcunha deLos Puros Criollos, pela política de promover jogadores locais. Além dos ótimos jogadores, a conquista é recheada de acusações de ameaças contra  os árbitros.
No final dos anos 1980, a federação permitiu que os clubes fossem patrocinados por empresas privadas e limitou o número de estrangeiros em quatro por time. Dessa forma, Pablo Escobar injetou uma quantidade exorbitante de dinheiro no clube; em contrapartida, tinha direito a renda das partidas da equipe. Com essa decisão, a lavagem de dinheiro para os narcotraficantes tinham ficado ainda mais fácil.  
A polêmica Libertadores de 89



Os representante brasileiros na competição foram Bahia e Internacional, campeão e vice do nacional de 88, respectivamente. O Tricolor parou nas quartas de final ao ser eliminado pelo Inter e o Colorado saiu na semi-final, quando sucumbiu ao Olímpia. 

Os dirigentes não pensavam na Libertadores, em 1988, e sim no título nacional, que não veio, pois o Millonarios, de Gacha, ficaram com o caneco. Com a segunda posição, a vaga na competição continental estava garantida.

No ano seguinte, com a mesma base do vice, o Atlético Nacional e Pablo Escobar queriam dominar o continente. Após a expansão dos negócios entre a Colômbia e os Estados Unidos, Escobar queria mais poder.

Na Libertadores, o Atlético estreou com derrota para os atuais campeões colombianos, por 2x0, mas garantiram a classificação ao bater o Emelec e o Deportivo Quito.

No mata-mata, as acusações contra as ameaças aos árbitros e ao suborno para jogadores rivais se intensificaram. Nas oitavas de final, os verdolaga bateram o Racing, da Argentina, por 2x0, em casa, e perderam por 2x1, no Cilindro, o que possibilitou a classificação. 

Nas quartas de final, o Millonarios, carrasco do vice de 1988 e na primeira fase da Libertadores, era o adversário. 
Em dois jogos de muita pancadaria, o Atlético levou a melhor. Uma vitória por 1x0, dentro de casa, e um empate por 1x1, em Bogotá, classificaram o time de Medelín. 

A maior polêmica daquela Libertadores foi a semi-final. Contra o Danúbio, do Uruguai, um empate em 0x0, na ida, mostrava a igualdade das equipes, mas no jogo de volta um sonoro 6x0 a favor da equipe colombiana assustou a todos. O placar elástico levantou suspeitas de que os jogadores uruguaios estivessem comprados, mas nada foi provado (como a maioria dos crimes de Escobar). 

Na final, dois JOGAÇOS entre dois ótimos plantéis encantaram todos os espectadores. 
Na partida de ida, o Olímpia se impôs dentro do Defensores Del Chaco e venceu por 2x0. Bobadilla e Amarila marcaram os gols da vitória dos paraguaios. A imprensa especializada já dava como certo o título do Olímpia, principalmente, pelo fato de Atlético não poder mandar o jogo decisivo em casa. O estádio do Nacional na final de 1995 frente ao Grêmio e até nos jogos de atualmente, é o Atanasio Girardot. Em 1989, porém, o jogo decisivo foi disputado no El Campín, em Bogotá, pois a Conmebol não liberou a casa em Medellín.

Mesmo com o jogo em Bogotá, o estádio estava lotado e a esperança do povo colombiano, que fazia vista cega para o dinheiro dos clubes, era que, enfim, um clube do país dominaria o continente. 

O Atlético Nacional foi a campo com a seguinte escalação: Higuita, Carmona, Luis Perea, Andrés Escobar e Gómez; Alvarez, Fajardo (Arboleda), Alexis García e Arango (Perez); Usuriaga e Tréllez.

O jogo era truncado e cheio de confusões, mas em uma jogada de Usuriaga pela direita, o zagueiro Niño fez gol contra, 1x0. 

Em outra falha do zagueiro Niño, o meia Alexis García enfiou a bola para Usuriga, que encobriu o goleiro, de cabeça, para empatar o duelo. 

O herói Higuita

Nas penalidades, o nome foi Higuita. Com quatro defesas, o folclórico goleiro deu o título aos colombianos e escreveu seu nome na história do país.








Série A: Seleção da 16ª rodada



GOLEIRO: Dênis (São Paulo) 

O contestado Dênis, fez uma grande partida diante do Grêmio. Mesmo com a derrota por 1x0, o arqueiro fez várias intervenções para que o São Paulo não fosse goleado em Porto Alegre.

LATERAL-DIREITO: Pará (Flamengo)

Talvez a sua melhor partida com a camisa do Flamengo, Pará foi o atleta mais agudo na vitória sobre o América/MG. Uma assistência perfeita para Guerrero marcar e outras inúmeras oportunidades criadas.

ZAGUEIRO: Juninho (Coritiba) 

O jovem zagueiro vem se destacando com a camisa do Coxa na Série A. Contra o Santa Cruz, o defensor fez uma grande partida para que o Cortiba saísse com os três pontos.

ZAGUEIRO: Wanderson (Atlético/PR)

A surpreendente campanha do Atlético/PR passa pela sólida defesa. Diante do Fluminense, o zagueiro Wanderson fez uma partida primorosa e não deu espaços para que o Tricolor tivesse oportunidades.

LATERAL-ESQUERDO: Caju (Santos)

Com Zeca na Seleção Olímpica, Caju assumiu a titularidade diante do Vitória e não fez feio. Em Salvador, o ala fez uma grande partida. Sempre criando situações de perigo, o lateral foi peça fundamental nos contra-ataques santistas.

VOLANTE: Leandro Donizete (Atlético/MG)

Um volante cão de guarda, mas que vem aprendendo a chegar ao ataque, esse é Leandro Donizete no Galo. Contra o Palmeiras, em um jogo truncado, apareceu no meio da zaga palmeirense para marcar o gol da vitória do Atlético/MG.

VOLANTE: Hernani (Atlético/PR)

Um dos principais nomes da ótima campanha do Atlético/PR, Hernani vem se notabilizando por seus desarmes e chegadas ao ataque. Contra o Fluminense, o volante marcou o gol da vitória do Furacão.

MEIA: Dodô (Figueirense)

Contra o Corinthians, em Itaquera, Dodô foi o principal jogador do Figueirense na partida. Além de marcar um golaço, criou as principais chances do Figueira. 

MEIA: Vitor Bueno (Santos)

Diante do Vitória, o meia Vitor Bueno se destacou, tanto pela criatividade quanto pela vontade. Com um gol e uma assistência, o meia vem se firmando no time titular de Dorival.

ATACANTE: Copete (Santos)

Contra o Vitória, o atacante infernizou a vida dos zagueiros baianos. Além de marcar o seu gol, se movimentou bastante e abriu espaços para que os meias chegassem ao ataque. 

ATACANTE: Rogério (Sport)

Contra o Cruzeiro, o atacante Rogério marcou os dois gols do Sport na vitória por 2x1 diante do time mineiro. 

TÉCNICO: Marcelo Oliveira (Atlético/MG)

Em um jogo difícil, o técnico Marcelo Oliveira soube neutralizar os principais pontos palmeirenses e aproveitou as deficiências na saída de bola para criar as oportunidades de gol. 

25 julho 2016

Série B: Seleção da 17ª rodada




GOLEIRO: Éverson (Ceará)

O nome de Éverson na seleção deve causar estranheza, mas o arqueiro salvou o Ceará diante do Vila Nova. Com cinco defesas difíceis, o goleiro fez o seu papel para que o Vovô saísse com os três pontos de Goiânia.

LATERAL-DIREITO: Renato da Silva (Avaí)

Mesmo com a derrota para o Náutico por 3x1, o lateral Renato da Silva se destacou durante a partida. Sem erros defensivos e com muito ímpeto ao chegar no ataque, o ala foi o grande destaque pelo lado catarinense. 

ZAGUEIRO: Rafael Donato (Joinville)

Contra o Goiás, o zagueiro Rafael Donato, além de brilhar na defesa, foi o principal jogador no ataque do JEC. O defensor ganhou todas as bolas por cima e deu os dois passes para os gols de sua equipe.

ZAGUEIRO: Eduardo (Náutico)

Diante do Avaí, o zagueiro Eduardo, do Náutico, brilhou na Arena Pernambuco. O defensor neutralizou as principais jogadas de ataque do clube visitante e marcou um gol no duelo.

LATERAL-ESQUERDO: Luiz Paulo (Tupi)

Com Jonathan marcando o gol da vitória, mas perdendo outras grande oportunidades, o nome do Tupi, na vitória diante do Atlético/GO, foi o lateral-esquerdo Luiz Paulo. O ala estreou na partida de sábado e deu conta do recado. 

VOLANTE: Luiz Antônio (Bahia)

Após uma passagem apagada pelo Sport, o polivalente Luiz Antônio estreou pelo Bahia contra o Luverdense. Com a má fase do Bahia, o técnico Guto Ferreira promoveu o volante no time titular, e ele não decepcionou. Com um golaço, fez o tento da vitória.

MEIA: Jean Carlos (Vila Nova)

Apesar da derrota para o Ceará, o meia Jean Carlos, do Vila Nova, foi um dos destaques da partida. Com um gol, de pênalti, e uma assistência, o meia incomodou a defesa alvinegra durante grande parte do jogo. 

MEIA: Felipe (Ceará)

Após algumas rodadas apagado, o meia Felipe voltou a brilhar. Com um belo gol, o meia retomou a confiança e conduziu o Ceará aos três pontos. Quando foi preciso, soube segurar a bola no campo de ataque e orquestrou as principais chances criadas pelo Vovô.

ATACANTE: Gustavo (Criciúma)

Figura carimbada em nossa seleção, o atacante Gustavo, artilheiro da Série B, brilhou em mais um jogo com a camisa do Criciúma. O Tigre perdia por 2x0 até os 32 minutos da segunda etapa, quando Gustavo diminuiu e empatou aos 45 minutos. 

ATACANTE: Bill (Ceará)

Com um golaço e uma assistência, o centroavante Bill, foi um dos destaques da vitória do Ceará sobre o Vila Nova. Mesmo sem atuar todo o jogo (saiu contundido), o atacante foi crucial para que o alvinegro conquistasse os três pontos. Os defensores do Vila não ganharam uma bola do atacante.

ATACANTE: Éderson (Vasco)

O Vasco não consegue acertar um centroavante, mas parece que isso mudará. Em sua estreia, o atacante Éderson marcou o gol de empate e participou das principais jogadas de ataque do Cruz-maltino. 

TÉCNICO: Estevam Soares (Tupi)

O Tupi tenta ressurgir na Série B, mas com um time limitado vive capengando na competição. O técnico Estevam Soares sabe da limitação e vai tirando leite de pedra. Contra o Atlético/GO, soube aproveitar a afobação do clube goiano para sair com os três pontos. 

Verminosos por camisas de futebol e as peças raras no nosso estado

A clássica camisa do Brasil de 94 - Foto: (reprodução / Verminosos por Futebol)

Mais de 100 pessoas foram prestigiar o 1° Encontro de Verminosos por camisa de futebol e o evento foi um sucesso. Quem compareceu, não esperava tantas raridades e diversidade entre os colecionadores de camisas.

O acervo contava desde os times do interior cearense ao leste europeu, com camisas usadas em jogos por craques e raridades dos clubes locais.

Para que o nosso seguidor, que não pôde comparecer, ficasse antenado ao que acontecia no evento, nós fizemos uma transmissão ao vivo via Facebook: Cobertura do evento.


     

A equipe do Verminosos Por Futebol, liderada pelo jornalista Rafael Luis, foi responsável pela organização do ótimo evento que reuniu colecionadores, admiradores e amantes do futebol em geral. Tivemos a exposição de camisas e artigos em geral, todos relacionados ao futebol.

As coleções eram bem variadas e diversificadas, iam desde clubes de futsal como o Sumov, passando por relíquias como a camisa da Rússia em alusão a luta contra o racismo, esta com apenas onze exemplares no mundo, e uma estava presente no evento.

                      


Todos os colecionadores levavam consigo além de raridades, histórias das mais ricas em detalhes, o amor pelo futebol foi capaz de colocar lado a lado na galeria representantes dos clubes cearenses. 

O professor de história Bruno Marques tinha uma das coleções mais inusitadas da exposição, o "mestre" nos brindou com suas raridades futebolísticas que como ele mesmo falou: "Insistem em permancer no tempo". Em sua ala haviam duas seções, uma só com camisas de clubes cearenses com menos apelo midiático como: Calouros do Ar, Icasa, Guarany de Sobral, Itapajé, Barbalha entre outros e uma seção com clubes de fora do estado e seleções mundo à fora como: Malásia, Bahrein, Egito, Brusque, Madureira, Maranhão, Imperatriz entre outros, o acervo de Bruno também continha documentos oficiais de alguns clubes.

 

 


Os jogadores cearenses também tiveram seu espaço no evento André Souza idealizador e administrador da ótima página Jogadores Cearenses no Mundo levou sua coleção pessoal para a exposição, entre eles se destacaram a camisa do meia Raffael, atualmente no Borussia Mönchengladbach, do atacante Wanderson do Krasnodar e do meia Willer ex jogador do Fortaleza.


                     


O evento como um todo foi muito bom e todos que foram ao local ficaram com a vontade de uma segunda edição que já foi confirmada pela equipe do Verminosos.

Equipe do Arena303 presente no evento com o "dono da festa"



Não foi o público que elas merecem, mas valeu o teste


Brasil e Austrália fizeram um ótimo jogo no Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza. O estádio não estava lotado, principalmente pelo fato de Ceará e Fortaleza jogarem no mesmo horário, mas a torcida que marcou presença não parou de incentivar as meninas do Brasil. 

Com o elenco que vai disputar as Olimpíadas, o Brasil começou com dificuldades diante das australianas e saiu atrás, com um frango da goleira Bárbara. Com o gol, as lembranças da eliminação nas oitavas de final do Mundial foram inevitáveis, pois o 1x0 veio com uma falha da goleira Luciana.

Com a derrota parcial, Vadão mudou a postura para o segundo tempo. Gorry recebeu o segundo amarelo – ambos por reclamação – e deixou as australianas com 10 em campo aos quatro minutos do segundo tempo. O Brasil já pressionava, e com uma a mais, aproveitou para encurralar as Maltidas.

Quase 10 mil pessoas presenciaram um show de golaços das brasileiras. Debinha empatou em erro da defesa, Raquel virou com um golaço por cobertura, e Darlene deixou duas adversárias no chão antes de fazer o 3 a 1 já nos acréscimos.







20 julho 2016

Atlético Nacional x Independiente Del Valle - Em busca da América

Del Valle e Atlético Nacional começarão a decidir a Libertadores nesta noite (Créditos: torcedores;com)

Atlético Nacional e Independiente Del Valle entram em campo para iniciar a disputa pela taça mais cobiçada do continente. A primeira partida será disputada no estádio Casa Blanca, em Quito, no Equador.

Os dois times protagonizarão a primeira decisão da competição que não conta com um clube argentino ou brasileiro em 25 anos, quando o Colo Colo-CHI levou a melhor sobre o Olímpia-PAR na disputa pelo título do torneio mais importante do continente sul-americano. 

De um lado, equatorianos que ainda não sabem o que é perder dentro de casa; do outro, clube colombiano que carrega status de visitante mais indigesto. Como mandante, o Del Valle acumula seis vitórias e um empate. Já o retrospecto do Atlético Nacional como visitante é feito por quatro triunfos em seis partidas (mais um empate e uma única derrota).

Na primeira fase, o Del Valle passou em segundo, no grupo do Atlético/MG, e nas oitavas de final, eliminou o atual campeão, River Plate. Nas quartas, passou pelo Pumas, do México, e superou o Boca Juniors, com duas vitórias, dentro da La Bobonera.

Independiente del Valle: Azcona; Christian Núñez, Mina, Caicedo e Luis Fernando León; Orejuela, Rizotto, Julio Angulo e Sornoza; Cabezas e José Angulo
Atlético Nacional: Armani; Bocanegra, Sánchez, Hernríquez e Díaz; Diego Arias, Sebastián Pérez, Macnelly Torres e Berrío; Marlos Moreno e Borja

Quem é Ciel ?

A torcida do Ceará conta os dias para voltar a Série A, e para isso, a diretoria alvinegra continua se reforçando para a competição. Depois de acertar com o lateral Maicon Silva, do Vitória/BA, o Vovô fechou o retorno do atacante Ciel, que estava nos Emirados Árabes.


Natural de Caruaru, Ciel começou a carreira no Santa Cruz/PE e teve uma rápida passagem pelo Ceará, em 2006,  mas logo se transferiu para o Salgueiro/PE. No clube do sertão pernambucano, o atleta fez um bom campeonato estadual e se transferiu para o Icasa, clube emergente do interior do Ceará, que estava em plena ascensão.

No Verdão do Cariri, virou xodó da torcida ao levar a equipe ao segundo lugar do Campeonato Cearense.
Após se destacar no Icasa, Ciel acertou sua volta para o Ceará. No Vozão, fez um início de Série B avassalador ao lado de Luiz Carlos e Vavá. Por conta do bom futebol apresentado, o atacante acertou sua ida para o Fluminense/RJ. Nas Laranjeiras, fez boas partidas, mas foi dispensado por indisciplina após agredir uma garota de programa. 

Após marcar 14 gols pelo ASA na Série B do Brasileirão de 2010, fechou contrato com o Al Shabab por seis meses, e não saiu mais. Em 80 jogos, marcou 37 gols e se transferiu para o Al-Ahli, onde fez 55 jogos e balançou a rede 22 vezes.

Agora, o atacante volta com a esperança de escrever uma história mais bonita no Ceará e escrever, de vez, seu nome na história do clube. Regenerado dos problemas extracampo, amigo de Wesley Safadão e exemplo para os mais jovens, Ciel tem tudo para ser peça importante na Série B.

Sérgio Soares terá uma boa dor de cabeça e uma opção que faltava ao elenco, um jogador de velocidade pelos lados que atue com mais regularidade. 

Atualmente, o Ceará atua com quatro homens formando um quadrado: Wescley, Felipe, Bill e Rafael Costa, sem um jogador específico aberto aos flancos. Ciel deve suprir essa ausência e atuar mais dos lados, entretanto, um dos quatro homens de confiança do Sérgio precisaria ser sacado. Felipe e Wescley devem continuar como titulares, então sobraria para um dos dois centroavantes.

19 julho 2016

Série B: Seleção da 16ª rodada



GOLEIRO: Émerson (Paysandu)

O arqueiro do Papão segue fazendo uma grande Série B, e contra o Paraná, fora de casa, segurou o 0x0 com várias intervenções. 

LATERAL-DIREITO: Yago Pikachu (Vasco)

Marcou o gol no empate diante do Luverdense. No time reserva, destoou dos demais e foi o melhor jogador em campo.

ZAGUEIRO: Célio Santos (Avaí)

Seguro por baixo e perfeito pelo alto, assim foi a partida de Célio Santos diante do Oeste. 

ZAGUEIRO: Marllon (Atlético/GO)

Mesmo com a derrota dentro de casa para o Londrina, o zagueiro Marllon fez uma grande partida. Além do gol marcado, efetuou seis desarmes e inúmeras intervenções. 

LATERAL-ESQUERDO: Capa (Avaí)

No 1x1 diante do Oeste, Capa foi o melhor jogador em campo. Com várias jogadas de perigo e muito bem da defesa, o atleta fez o Avaí jogar, mesmo não conseguindo a vitória.

VOLANTE: Richardson (Ceará)

Um dos melhores jogadores da Série B, Richardson foi um guerreiro diante do Criciúma. Marcação forte e uma saída de bola de qualidade marcaram a partida do volante diante do Tigre.

MEIA: Matheus Galdezani (CRB)

O surpreendente CRB venceu mais uma e figura na vice-liderança da Série B. O destaque do jogo foi o meia, Matheus Galdezani.

MEIA: Léo Lima (Goiás)

A experiência de Léo Lima foi fundamental na retomada do Goiás. Diante do Náutico, o meia fez uma grande partida e conduziu o Esmeraldino a vitória.

ATACANTE: Rossi (Goiás)

Rossi só não fez chover na vitória do Goiás diante do Náutico. Veloz e letal, o atacante foi fundamental no triunfo por 4x2.

ATACANTE: Keirrison (Londrina)

O 'K9' mostrou seu faro de gol apurado e marcou os dois gols da vitória do Londrina contra o Atlético/GO, fora de casa.

ATACANTE: Felipe Garcia (Brasil de Pelotas)

O melhor jogador do Xavante na Série B, Felipe Garcia, fez mais uma grande partida. No empate por 2x2 contrao Vila Nova, marcou os dois gols da equipe.

TÉCNICO: Sérgio Soares (Ceará)

Vindo de duas derrotas impactantes, Sérgio Soares conseguiu organizar o Ceará e soube fazer as mudanças na hora certa para conseguir mais três pontos na Série B. 

18 julho 2016

Análise e os confrontos da segunda fase da Série D

Após 204 jogos, a primeira fase da Série D chegou ao fim e "apenas" 32 equipes sobreviveram para disputar o mata-mata.
A partir de agora, o formato será esse e serão mais três fases eliminatórias para decidir quem garantirá o acesso para a Série C.



Na segunda fase da Série D, os 17 primeiros colocados de cada grupo e os 15 melhores segundos colocados são divididos em dois blocos (Bloco I e Bloco II), com o time de pior campanha entre os líderes ficando no grupo junto com os vice-líderes.
A partir daí, os confrontos seguiram uma ordem regionalizada, sendo o primeiro de um bloco contra o segundo do outro bloco (exemplo Clube 1 enfrenta o Clube 18; Clube 2 x Clube 17 e assim por diante). O time que terminou a primeira fase em 1º lugar faz a segunda partida do mata-mata em casa. As datas das partidas ainda serão definidas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).


Confrontos da Série D são definidos


Atlético/AC x Náutico/RR

 O Atlético chega como favorito ao mata-mata, pois fez uma campanha sólida na primeira fase. A equipe do Acre foi líder do Grupo A1, sem perder nenhuma partida, com quatro vitórias e dois empates. Com a quarta melhor campanha dos 68 clubes, o clube acriano quer sonhar mais alto na competição.

Com mais dificuldades, o Náutico, de Roraima, chegou nesta fase da competição tropeçando nos próprios pés, mas aposta na força que tem dentro de casa para avançar no certame. Com 50% de aproveitamento, o Timbu roraimense venceu em duas oportunidades, empatou três e perdeu apenas uma na competição.

Aposta Arena 303: Atlético/AC passa com dois bons resultados.

Princesa do Solimões x Palmas

Talvez o nome de clube mais bonito do futebol brasileiro, o Princesa do Solimões tenta sair do anonimato e galgar alguns degraus no futebol brasileiro. O clube amazonense já enfrentou o Palmas na Série D, pois as duas equipes estiveram no mesmo grupo e saiu vencedor nas duas oportunidades.
No Piauí, venceu por 3x2, e dentro de casa, aplicou um 2x0 sem muitas dificuldades.

O Palmas terá que se reinventar para anaçar na competição e é nisso que o clube aposta. Após as duas derrotas diante do Princesa, o clube venceu os dois últimos embates para avançar de fase.

Aposta Arena 303: Princesa do Solimões avança sem muita dificuldade.


São Raimundo/PA x Juazeirense/BA



Um dos confrontos mais equilibrados dessa fase, São Raimundo/PA e Juazeirense/BA vão buscar a vaga na próxima fase nos detalhes.


Com campanhas parecidas, os dois clube perderam apenas uma vez no certame, mas o São Raimundo tem uma vitória a mais e decide em casa por ter sido líder do Grupo A3.

O Juazeirense aposta nos lampejos do experiente Clodoaldo e no calor da torcida para passar de fase, já o São Raimundo deve contar com um estádio lotado no jogo da volta para ir as oitavas de final.

Aposta Arena 303: Em dois jogos parelhos, o São Raimundo avança com o apoio da torcida no jogo de volta.

Águia de Marabá/PA x Moto Club/MA

As duas equipes estiveram no mesmo grupo na primeira fase e tem uma situação curiosa. O Moto Club venceu uma e empatou a outra diante do Águia, mas o time de Marabá foi quem garantiu a liderança do grupo.

Com quatro empates e duas vitórias, o Moto somou dez pontos, enquanto o time paraense venceu três, empatou uma e perdeu outra somando onze pontos.

Aposta Arena 303: Serão dois jogos disputados, mas quem deve passar é o Águia de Marabá. Apesar de não ter vencido o Moto na fase de grupos, a equipe decidirá no alçapão.

Altos/PI x América/PE

O duelo marca o reencontro entre Carlinhos Bala e o América/PE. O experiente atacante defendeu as cores do 'Mequinha' no estadual e ajudou a equipe nessa classificação para a Série D.

O Altos é a grande sensação da competição, pois tem a melhor campanha, o melhor ataque, o artilheiro e a força do interior do Piauí a seu favor.

Com o atacante Manoel com nove gols e Carlinhos Bala sempre entrando bem no segundo tempo, o Altos é o maior favorito nessa fase.

O América/PE aposta na tradição de outrora e na união das torcidas de Pernambuco para lhe apoiar.

Aposta Arena 303: O Altos deve passar, mas encontrará dificuldades diante do América/PE.

CSA/AL x Parnahyba/PI


Na primeira fase, as duas equipes estiveram no mesmo grupo e quem se deu melhor foi o Parnahyba. Com uma vitória e um empate, o clube piauiense superou o CSA, mas foi o clube alagoano que garantiu a liderança do Grupo A6.


Com três vitórias, dois empates e uma derrota, o CSA somou onze pontos e aposta em um Rei Pelé lotado, no jogo da volta, para garantir a vaga na próxima fase.

Aposta Arena 303: A camisa deve pesar e o CSA/AL, com dificuldades, deve passar para as oitavas.


Globo/RN x Campinense/PB



Pelo primeiro semestre, o Campinense seria franco favorito nesse embate, mas a Raposa perdeu seus principais pilares e teve que se remontar na competição. Com um time consistente e uma estrutura de dar inveja, o Globo tenta fazer valer os investimentos fora das quatro linhas e subir de divisão.


Na primeira fase, o Globo foi líder do Grupo A7 com onze pontos e apenas uma derrota, enquanto o Campinense foi líder do Grupo A9 com dez pontos e duas derrotas.

Aposta Arena 303: Será um confronto equilibrado, mas a nossa aposta é que o Globo deve passar.

Uniclinic/CE x Itabaiana/SE


Mais um confronto de equipes que estiveram no mesmo grupo, Uniclinic e Itabaiana devem fazer o confronto mais equilibrado dessa fase. O atual campeão sergipano e o vice campeão cearense empataram nas duas vezes que se enfrentaram na competição, 2x2 em Sergipe e 1x1 em Fortaleza.


O Uniclinic tenta o acerto com o experiente atacante Mota, ídolo do Ceará, para o restante da competição e o Itabaiana deve contar com seu estádio lotado para o mata-mata.

Aposta Arena 303: Uniclinic passa para a próxima fase.

Ceilândia/DF x Aparecidense/GO


Com esse regulamento da CBF, mais um confronto de equipes que estiveram no mesmo grupo na primeira fase.


As duas agremiações deitaram e rolaram na fase inicial. Com a segunda melhor campanha da Série D, o Ceilândia venceu cinco vezes e só perdeu uma, enquanto o Aparecidense superou quatro adversários, empatou um e perdeu outro.

Nos dois duelos, o Aparecidense venceu em casa por 3x2 e o Ceilândia devolveu com um 3x0 no segundo embate.

Aposta Arena 303: Será um dos confrontos com melhor nível técnico e a nossa aposta vai para o Ceilândia.

Sete de Dourados/MS x Fluminense de Feira/BA


O time do experiente Aloísio Chulapa contra o clube de maior público na primeira fase do torneio, esse será um dos duelos que mais chama a atenção do público. Após conquistar um inédito título estadual, o Sete quer fazer história na Série D e para isso avançou em primeiro lugar no Grupo A11, com 11 pontos e apenas uma derrota.


O Fluminense de Feira conta com a força da torcida para passar pelo time sul-mato-grossense. Na primeira fase, o maior público registrado foi da equipe do interior da Bahia, com mais de 5.400 torcedores diante do Murici/AL.

Aposta Arena 303: O Fluminense de Feira vai fazer valer a força do seu torcedor e fará um bom resultado dentro de casa e administrará fora de seus domínios.


Volta Redonda/RJ x URT/MG

Com apenas um gol sofrido e nenhuma derrota na competição, o Volta Redonda entra como grande favorito ao acesso. Contra o URT/MG, vai tentar garantir sua força defensiva para ascender de divisão. Na primeira fase, quatro vitória e dois empates.

O URT/MG foi o time que mais deu trabalho ao Voltaço na primeira fase, pois perdeu, apertado, por 1x0 e empatou o segundo jogo em 0x0.

Aposta Arena 303: Volta Redonda vai fazer valer seu poderio defensivo e se classificará.

Caldense/MG x Anápolis/GO

Uma campanha segura, mas sem muitos gols, esse é o resumo do caminho percorrido pela Caldense até então. Apenas seis gols marcados e um gol sofrido (na última rodada com o time reserva) garantiram ao time mineiro, a liderança do Grupo A13.

Pelo lado goiano, o Anápolis, que foi vice-campeão goiano, foi segundo colocado no Grupo A11. Com apenas cinco gols marcados e três sofridos, mostra que o duelo será de poucos gols.

Aposta Arena 303: As chances são iguais, mas a Caldense leva uma pequena vantagem e deve avançar.

São Bento/SP x Brusque/MG

Um duelo de dois times que poderiam ter se enfrentado mais a frente, entretanto decidirão uma vaga nas oitavas de final. Dois dos times mais ofensivos da competição, São Bento e Brusque prometem fazer um grande duelo pela vaga.

Enquanto o time paulista foi líder do Grupo A14, o Brusque ficou na segunda colocação do A15. 

Aposta Arena 303: Com um time mais encorpado, o São Bento deve encontrar muitas dificuldades, principalmente, diante da apaixonada torcida do Brusque, mas deve passar.


J Malucelli/PR x Espírito Santo/ES

Duas classificações totalmente diferentes colocam frente a frente, J Malucelli e Espírito Santo. O clube paranaense, sem demonstrar um grande futebol, avançou como líder do Grupo A15, enquanto o Espírito Santo teve que correr até os 48 minutos do segundo tempo, da última rodada, para garantir a vaga.

Com a vitória heroica, a equipe eliminou a Portuguesa/RJ no saldo de gol e avançou como pior segundo colocado, mas as adversidades devem servir de aprendizado para o mata-mata. 

Aposta Arena 303: Com a classificação na bacia das almas, o Espírito Santo já vai calejado para o mata-mata e tem grandes chances de eliminar o J Malucelli.

Inter de Lages/SC x Caxias/RS  

Um duelo que chama a atenção no sul do país. Inter de Lages e Caxias devem protagonizar um grande confronto pela vaga na próxima fase. O time catarinense se classificou em primeiro do Grupo A16 e o Caxias em segundo do Grupo A17, ambos com campanha irregular. O Inter venceu três duelos e perdeu em duas oportunidades, enquanto o Caxias venceu três partidas e perdeu outros três embates. 

Aposta Arena 303: Contando com a tradição, o Caxias deve passar em um duelo emocionante.

Ituano/SP x Linense/SP

O único duelo entre dois clubes do mesmo estado, Ituano e Linense vão se enfrentar por uma vaga nas Oitavas de Final. Com treze pontos e apenas uma derrota, o Ituano foi líder do Grupo A17. O Linense somou dez pontos e ficou na segunda colocação do Grupo A16.

Aposta Arena 303: Ituano deve passar de fase, mas será um duelo equilibrado. 

















c