Blogroll

               

03 outubro 2016

O Juventude campeão da Copa do Brasil de 1999

Com chances de avançar para a semi-final da Copa do Brasil, o Juventude perdeu o jogo de ida para o Atlético/MG por 1x0, mas aposta na força da sua torcida para avançar. Entretanto, o objetivo principal do clube gaúcho, é ascender de divisão, para isso precisa passar pelo Fortaleza.

Resultado de imagem para juventude campeão da copa do brasil 1999


Nomes como Émerson, Maurílio, Márcio Mixirica e outros fizeram história ao levar o 'Papo' ao título inédito e o último do século passado. 

Comandado pela Parmalat desde 1993, o Juventude aproveitou os cheques polpudos para aumentar seu patrimônio e fortalecer suas categorias de base para obter os resultados dentro de campo. Não demorou muito para os títulos começarem a aparecer. Dois anos depois, o clube já estava na Série A e conquistou o campeonato gaúcho de 1998. 


Em 1999, o elenco não era de se chamar a atenção, mas tinha bons valores que poderiam fazer a diferença.  Na Copa do Brasil, com o time estruturado fora de campo, os resultados começaram a aparecer. Na estreia, um 5x1 frente ao Guará/DF eliminou o jogo de volta e classifico a equipe. Na segunda fase, o adversário era o tradicional Fluminense, mas que estava na Série C do Brasileirão e passava por uma grave crise administrativa. No Maracanã, uma derrota por 3x1 desanimou os gaúchos, mas trouxe uma falsa sensação de superioridade aos cariocas.

No Alfredo Jaconi, mesmo em desvantagem, a torcida compareceu em ótimo número e apoiou a reversão do placar. Em apenas sete minutos de jogo, a equipe da casa já estava em vantagem com dois gols do capitão Flávio. Mabília ainda marcou duas vezes, Capone outro e Flávio fechou o marcador. 


Os gols de Juventude 6x0 Fluminense


Nas oitavas de final, o time tinha pela frente o Corinthians, atual campeão brasileiro (seria bicampeão no fim da temporada)  além de um plantel espetacular, e era o grande favorito a conquista do título. 

Sem sorteio, os mandos eram definidos de acordo com o posicionamento no ranking da CBF, então o Juve jogou todos os jogos de ida dentro de casa.

No Alfredo Jaconi, um Corinthians encurralado e sem reação, viu a equipe gaúcha fazer 2x0 com extrema facilidade, Capone e Márcio Mixirica marcaram os gols do duelo. Na partida de volta, os corintianos martelaram, mas não ultrapassaram o ferrolho montado por Valmir Louros e ainda viram Márcio Mixirica fazer o gol que classificou os gaúchos dentro do Pacaembu. 

Após eliminar o atual campeão brasileiro, os holofotes estavam em Caxias do Sul, mas o bom time do Bahia queria acabar com a festa e quase conseguiu. Nas Quartas de Final, o confronto mais duro do Juventude na competição foi diante dos baianos. 

Na partida de ida, o Bahia saiu na frente com Uéslei, mas o Juventude empatou com Capone e virou com Márcio Tilico. O jogo era truncado, o Bahia pressionava até Uéslei empatar a partida e levar a vantagem de um 0x0 para Salvador. 

Na Fonte Nova, quem saiu na frente foi o Juventude com Capone. Sem se desesperar, o Bahia não foi para o abafa e foi premiado com a virada. Uéslei e Viniius marcaram os gols do Tricolor de Aço. Como no jogo de ida, o 12º jogador do time, Márcio Tilico empatou a partida e levou para os pênaltis. 

Com o goleiro Émerson inspirado, o Juventude venceu o Bahia por 4x1 e chegou as semi do torneio mais democrático do país.


Na última fase antes da final, o adversário era um velho conhecido, o Internacional. Dunga, Gonçalves, Elivélton, Christian e companhia montavam o esquadrão colorado, mas estavam com quatro desfalques para o duelo no Alfredo Jaconi. Em casa, o Ju fez sua pior exibição na competição e não passou de um empate sem gols frente ao Inter. 

No Beira-Rio, mais de 80 mil colorados davam como certa a classificação, principalmente com o time todo a disposição. 

Após a pressão inicial, o Inter foi se entregando ao nervosismo e viu o lateral-direito Marcos Teixeira marcar um golaço de fora da área no último lance do primeiro tempo. 

Com a vantagem, o Juventude apenas administrava até que no início do segundo tempo, Márcio Mixirica aproveita a liberdade na área e faz 2x0. Em desvantagem, o Inter se lançou ao ataque, perdeu pênalti e viu Mabília e Capone fazerem história no Beira-Rio. 

                              
                                 Os gols da histórica goleada no Beira-Rio

Na final, o Juventude enfrentou o Botafogo, que havia eliminado o Paysandu, São Paulo, Atlético/PR e o Palmeiras.

No jogo de ida, um começo arrasador do 'Papo' deu mostras do que a equipe era capaz. Fernando e Márcio Mixirica fizeram 2x0 em 21 minutos de jogo. Abatido e nervoso, o Botafogo tentava se organizar, mas sem sucesso, até que o zagueiro botafoguense Sandro e o meia alviverde Wallace brigaram e foram expulsos.

Com o acontecido, o Botafogo parece ter acordado no jogo. No final do primeiro tempo, Bebeto diminuiu o placar e colocou o time da Estrela Solitária no jogo. 

No início da segunda etapa, o Juventude acertou a trave em duas oportunidades e teve o zagueiro Capone expulso. 

Com um a mais, o Botafogo foi para cima e chegou a marcar duas vezes com Rodrigo, mas os gols foram anulados (mal anulados) pelo árbitro Márcio Rezende de Freitas. 

Com a vantagem adquirida no primeiro jogo, o Juventude teria que se segurar no Maracanã, pois o Botafogo só precisava de 1x0 para levantar a taça. Mais de 100 mil botafoguenses empurravam o time em busca do gol, mas o alviverde era valente e segurava como podia. 

Sem criar oportunidades, o Botafogo se afobava, perdia as esperanças e via a valentia gaúcha levar o título para casa. Durante os 90 minutos, a organização defensiva prevaleceu e o Juventude sagrou-se campeão última Copa do Brasil do século passado. 



 
Trajetória do Juventude na Copa do Brasil de 1999.


Elenco campeão





Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

c