Blogroll

               

23 fevereiro 2017

A tecnologia no futebol só é útil quando convém?





Ainda no primeiro tempo de Corinthians x Palmeiras, clássico centenário do futebol paulista, um lance me intrigou. Apesar de estar acompanhando outra partida, mudei para o Dérbi no exato momento que o árbitro Thiago Duarte Peixoto aplicou o segundo cartão amarelo em Gabriel, volante corintiano. Resultado: expulsão.
Algo normal para um clássico, exceto pelo fato que Gabriel (camisa 5) não teve participação alguma no lance que originou seu segundo cartão, mas sim, Maycon (camisa 30). É isso mesmo. No contra-ataque palmeirense, Keno carregava a bola mas foi puxado pelo volante Maycon, em lance conhecido como anti-jogo, que pela regra, deve punir o infrator com cartão amarelo. Até aí, tudo bem.

Enquanto o volante se levantava do embate, seu parceiro de posição, Gabriel, aproximou-se do lance. Foi quando o árbitro Thiago Peixoto apontou-lhe o cartão. Sem mais, nem menos. Daí em diante não houve auxiliar, quarto árbitro, nem "recurso tecnológico", mais conhecido como TV, que ajudasse. O dono do apito não voltou atrás e o camisa 5 foi para o chuveiro mais cedo, chutando tudo que via pela frente.
Na ocasião, Thiago Duarte Peixoto não só complicou uma partida que tinha tudo para ser incrível, como mostrou o quanto os mais diversos critérios adotados por quem apita atrapalham o andar de uma partida. E o pior: o quanto a arbitragem brasileira é despreparada.
Mas e o recurso utilizado para rever lances? O Campeonato Brasileiro de 2016 contou com ele em algumas oportunidades. Se está em testes, ótimo. Um clássico como esse é uma oportunidade e tanto para aprimorá-lo. Não é preciso restringi-lo. Com seu uso, ganha o árbitro, que pode consertar um erro e manter seu nome intacto. Ganham os clubes, com um jogo limpo e bem liderado. Ou a tecnologia só pode ser usada quando convém?
E antes que eu esqueça, o Corinthians venceu. O gol foi marcado por Jô, quando o Timão já estava com um a menos. 1 a 0.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

c