Blogroll

               

27 março 2017

Copa do Nordeste: As mudanças na competição a partir de 2018



A maior competição regional do Brasil segue em busca do formato perfeito para não perder interesse por parte da mídia e alavancar as médias de público. 

Em 2017, o Nordestão vem tendo as piores médias de presença nos estádios dos últimos anos e com a audiência insatisfatória na televisão, fizeram com que a cúpula da Liga do Nordeste e do Esporte Interativo, detentores dos direitos da competição, pensassem em mudanças para que o torneio volte a ser uma grande atração.

A principal alteração da Copa do Nordeste será no número de participantes, reduzido de 20 a 16 equipes. 

As alterações no formato de disputa haviam sido anunciadas em fevereiro: 16 times, ao invés dos 20 das últimas três edições, e uma fase preliminar. 


Para 2018, classificam-se diretamente os nove campeões estaduais e os vices da três federações melhor ranqueadas (Bahia, Pernambuco e Ceará). As outras quatro vagas virão de uma fase preliminar, disputada em forma de mata-mata, entre os vice-campeões dos outros seis estados (Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas e Sergipe) e os terceiros colocados dos estaduais da Bahia e Pernambuco.


Enquanto em 2019, as vagas para a fase preliminar deixarão de ser oferecidas pelos estaduais e passarão para os clubes melhor ranqueados dentro de cada estado. 

Essas mudanças mostram que os mandatários não pensam nos pequenos e querem premiar a incompetência dos grandes nas competições estaduais. Comercialmente e levando em consideração a qualidade da copa, as medidas devem surtir algum efeito, mas o futebol da região deve sofrer com a falta de investimento (ainda mais) e o desenvolvimento fica comprometido. 



24 março 2017

A história da Copa Libertadores


Copa Libertadores da América é o maior desejo entre os grandes clubes do nosso continente. La Copa é cobiçada e disputada palmo a palmo dentro das canchas sul americanas, a competição é recheada de grandes causos e histórias, tem pra todos os gostos, você acompanha a partir de agora a saga do torneio, desde de sua fundação até os dias atuais.

Para compreender melhor a disposição atual da competição é preciso voltar um pouco no tempo para entender como se deu início a formação e junção das confederações sul americanas. 

Tudo começou em 1900 quando Francisco Buteller, então presidente da Associação de Futebol Argentino a AFA, criou a Copa de la Competencia, um torneio onde só poderiam jogar equipes de Buenos AiresRosário e Montevidéu. Em 1930, aFederação Chilena funda a Copa dos Campeões da América, um torneio que unia argentinos, uruguaios, chilenos e brasileiros. Aos poucos os clubes iam se juntando e formando uma competição mais consistente. Foi então que a Confederação Sul americana de Futebol organizou uma reunião para formalizar a criação da Copa dos Campeões, que em poucos anos se transformaria em Copa Libertadores da América

Os primeiros grandes campeões

Peñarol foi o primeiro time a ter o gosto de levantar a maior taça do continente. OsCarboneros venceram o Olímpia na final, em 1960 e sagraram-se campeões. Os uruguaios repetiram a façanha no ano seguinte e conquistaram o Bicampeonato. O tricampeonato só não veio em 1962 por conta do Santos de Pelé, os brasileiros venceram os rivais na final e levantaram o primeira taça pro Brasil. No ano seguinte veio o Bicampeonato, dessa vez o adversário era o Boca Juniors, que aquela altura já tinha fama de 'casca grossa' no continente, porém não foram páreos para o 'time da vila', que acabou derrotando os argentinos na final e levando a taça mais uma vez para o Brasil. A hegemonia Santos/Peñarol na Copa, foi quebrada pelo Independiente. O clube argentino que acabou se consagrando com maior vencedor da competição até os dias atuais.


Rei de Copas

Vencer uma Libertadores nunca foi tarefa fácil, imagina só erguer o troféu em sete oportunidades, pois é, o Independiente é o maior vencedor do torneio. O clube argentino comemorou a conquista a partir de 1964, depois disso venceu em 65/72/73/74/75 e 1984, a equipe nunca perdeu uma só final de libertadores, sempre que chegou, levou a taça para Avellaneda.


O primeiro Tricampeão 

Estudiantes de La Plata, mais conhecidos como los pincharratas foram os primeiros a conquistar a Libertadores em três ocasiões consecutivas. Os argentinos soltaram o grito de campeão a primeira vez em 1968, depois disso repetiram a dose e 1969 e 1970, após essas conquistas só voltaram a ser campeões em 2009.


O primeiro campeão "fora do eixo"

Em 1979, o Olímpia do Paraguai quebrou a supremacia de brasileiros, uruguaios e argentinos na competição, e conquistou o primeiro seu primeiro título na história. Os paraguaios também carregamento uma curiosa marca, é o único clube a chegar em finais em todas as décadas: 1960/70/80/90/00/10. 


Os maiores derrotados

América de Cali carrega uma marca negativa no torneio, é o único clube a ser tri-vice campeão na competição. Os colombianos acabaram derrotados em 1985 contra o Argentinos Juniors em 1986 contra o River Plate e em 1987 contra o Peñarol. Os uruguaios do Peñarol são os maiores derrotados do torneio com 5 vices-campeonatos em 1962/65/70/83 e 2011.

O grande campeão do Século 21

Os primeiros títulos do Boca Juniors na competição vieram em 1977/78, depois disso o clube viveu uma seca de Copas que só teve fim na era Riquelme e Bianchi, o camisa 10 foi responsável pela conquistas em campo e o 'bruxo' comandava tudo do banco de reservas. Os títulos de 2000/01/03 e 07 comprovam isso. Bianchi é o técnico que mais vezes venceu a Copa.


Grandes que também venceram na competição

Alguns gigantes do continente também já tiveram a honra de levantar a Libertadores:Flamengo(1), Vasco(1), River Plate(3), São Paulo(3), Palmeiras(1),Corinthians(1), San Lorenzo(1), Cruzeiro(2), Internacional(2),Grêmio(2) Nacional(3) são alguns exemplos.


Curiosidades

- O maior artilheiro da libertadores é o atacante equatoriano Alberto Spencer com 54 gols 
- Em 1971, durante um jogo entre Boca Juniors e Sporting Cristal, o árbitro expulsou 19 dos 22 jogadores da partida após uma batalha campal.
- Maradona e Sócrates nunca jogaram uma partida de Libertadores, os dois craques não tiveram o prazer de entrar em uma cancha pela maior competição do continente.


Desde sua criação o torneio já demonstrava que seria governado por Argentinos, Brasileiros e Uruguaios, não à toa os três países juntos somam 25 campeões em toda sua história.
A Libertadores demonstra que para vencê-la é preciso sofrê-la e amá-la.

23 março 2017

Copa do Nordeste: Os times cearenses deixaram muito a desejar

Nesta quarta-feira (22), Fortaleza e Uniclinic, os dois times cearenses representantes da Copa do Nordeste 2017, jogaram a última rodada da fase de grupos já eliminados na competição. No grupo A, a Águia da Precabura, em cinco rodadas já haviam levado quinze gols, sendo o pior time de todo o torneio.

Na sexta rodada, levou mais outra goleada, agora do Náutico, que mesmo vencendo a partida por 9 a 0, também não se classificou. Confira os gols:



Apesar de o Uniclinic ser um time pequeno, ao final do Campeonato Cearense do ano passado, ele nos mostrava que poderia, sim, brigar por pelo menos uma classificação na fase de grupos. Resultado, uma vergonha nacional seguida da maior goleada da história na Copa do Nordeste.

O Fortaleza Esporte Clube não fica muito atrás. A força maior do estado que estava na competição, era o favorito a passar de fase no grupo B ao lado do Bahia. Os dois times mais fortes eram os candidatos a passarem de fase tranquilamente. Altos e Moto Club, antes dos jogos começarem, pareciam ser os coadjuvantes da chave, enquanto baianos e cearenses os protagonistas. 

O time baiano fez o certo e conquistou o acesso para a próxima fase com cautela, já o Fortaleza, infelizmente decepcionou. E na última rodada da fase de grupos, o Bahia venceu o Leão do Pici dentro de casa por 2 a 0, fazendo 14 pontos ao todo. 



Confira os gols de Bahia x Fortaleza:




Vale ressaltar que em todas as edições do Nordestão, Fortaleza, Bahia, Sport, Vitória, Santa Cruz, Náutico e Ceará (este último não participou devido a não classificação no Cearense) são sempre os favoritos a conquistarem o título.

Tudo bem que na temporada 2017 ainda não se consagrou o verdadeiro campeão, mas o Tricolor Cearense também era favorito. Por uma má fase e um péssimo futebol jogado dentro de campo, além da troca de treinadores e uma filosofia diferente, o atual campeão estadual não conseguiu o acesso.

No grupo B, o Tricolor de Aço ficou na segunda posição com sete pontos, mas não passou para as quartas de finais por causa do regulamento, que dos segundos colocados, só se classificavam os três melhores.

No final de tudo, vemos que o futebol cearense deixou muito a desejar na competição mais visada da região Nordeste. Também não podemos esquecer as quedas dos times locais na Copa do Brasil, tanto para o Fortaleza, quanto para Ceará e Guarani de Juazeiro.

Basta agora apagar tudo o que aconteceu no início deste ano, remontar as "peças"dos nossos times e cobrar muito mais dos dirigentes e treinadores para que os clubes cearenses não deem vexames novamente como foram nestes meses.

Feito por: Robson Mateus. 

22 março 2017

Copa do Nordeste: Sete times brigam por cinco vagas no mata-mata



A Copa do Nordeste vai chegando na sua fase derradeira e tem um final de primeira fase muito atrativo para os torcedores. 

Das 20 equipes que iniciaram o regional, três garantiram classificação com antecedência. Campinense, Bahia e Sport entram em campo para confirmar a liderança dos grupos, o que traz vantagem de decidir em casa uma vaga na semifinal da competição. As outras cinco vagas serão decididas com jogos nesta quarta-feira (22). 

Entram em campo sem precisar torcer por ninguém: Sergipe e Itabaiana (atualmente os líderes dos grupos); Santa Cruz, River-PI e Vitória (as melhores campanhas entre os segundos). Tudo isso pode mudar com os resultados da última rodada.

No Grupo A, o Campinense já garantiu vaga na próxima fase, mas ainda luta pela liderança. A Raposa enfrenta o Santa Cruz, no Arruda, às 21h45. Um empate já garante o time paraibano com a vantagem de decidir em casa nas quartas de final. Para garantir a classificação, a equipe coral joga pela igualdade, mas quer vencer para assumir a liderança. Ainda no mesmo grupo, o Náutico tenta um milagre para avançar de fase. O Timbu precisa golear o Uniclinic, fora de casa, e torcer por uma derrota do seu rival para o Campinense.

Pelo Grupo B, tudo já está definido e tem o Bahia como único classificador. O Tricolor Baiano encerra sua participação na primeira fase diante do Fortaleza e torce por um tropeço do Sport para ter a melhor campanha da competição, isso em caso de vitória. 

Fortaleza, Altos e Moto Club já estão eliminados do certame. 

No Grupo C, o Sport já garantiu a passagem de fase e o River/PI tem situação muito bem encaminhada para disputar as quartas de final da Copa do Nordeste. O Galo do Piauí está encaminhado: ficaria fora só se for goleado pelo Juazeirense, adversário desta quarta, e o CRB vencer o Itabaiana. 

A partida mais esperada da rodada é o jogo entre CRB e Itabaiana pelo Grupo D. As equipes duelam em um confronto direto pela classificação. Quem perder deve ficar de fora da próxima fase. O time sergipano teria muita dificuldade para passar como melhor segundo colocado ficaria complicado por causa do saldo de gols, atualmente com zero.

Para o Galo Alagoano só interessa a vitória, pois em caso de empate só atinge 9 pontos. Por isso, a torcida deve lotar o Rei Pelé para apoiar a equipe em busca da classificação. 

Pelo Grupo E, a maior surpresa da competição leva o nome do estado em seu peito. O Sergipe peitou o Vitória e é líder do grupo mesmo com um orçamento infinitamente inferior ao clube baiano. As duas equipes tem boas chances de avançar mesmo com a derrota, mas o Batistão, em Aracaju, vai ferver com a disputa pela liderança do grupo.Ambos estão com 10 pontos, e o saldo de gols é quem decide a ponta (3 a 2). Empate põe os dois nas quartas de final.

Os confrontos das quartas de final do Nordestão serão definidos através de sorteio na CBF. Os quatro melhores primeiros colocados ficarão no “bloco 1” e vão ser mandantes no jogo da volta. O restante dos times – os segundos colocados classificados e o pior primeiro – no “bloco 2”, fazendo o jogo de ida em casa. 

21 março 2017

Muitos fizeram gols, só o Bruxo fazia magia




Antes que julguem o título, sim, outros jogadores fizeram magia com a bola, mas hoje nós vamos homenagear Ronaldinho Gaúcho. 

O Bruxo foi daqueles jogadores que encantavam até o adversário. Com a bola no pé, não tem Messi ou Cristiano Ronaldo para superá-lo. Em vez de números, Ronaldinho dava show, bailava e entortava os rivais. Se tivesse tido um pouco mais profissionalismo, o dentuço teria sido muito maior do que foi, mas ninguém liga para isso. Ele fez o suficiente para sermos seus súditos. 

No Grêmio já era realidade ainda mesmo quando promessa. Título gaúcho, gol na final e Dunga sem pai nem mãe foram os aperitivos de Ronaldinho Gaúcho para o mundo. Na Seleção Brasileira, uma estreia que quase não aconteceu, mas que ficou eternamente lembrada. Com a briga generalizada entre os jogadores de Palmeiras e Corinthians  na final do Campeonato Paulista de 1999, o atacante Edílson foi cortado da relação e a história do Bruxo começara a mudar ali.


Logo no jogo de estreia, contra a Venezuela, a jovem promessa do Grêmio, de 19 anos e ainda com o corpo franzino e cabelo raspado, fez um gol que entrou para a história. Ronaldinho recebeu na área, deu um lençol no zagueiro e emendou com estilo. A bola há muito já morria dentro do gol e o narrador Galvão Bueno, entorpecido com aquela pintura, ainda repetia a frase que começou bem antes de a bola entrar.

"Olha o que ele fez! Olha o que ele fez! Olha o que ele fez! Olha o que ele fez!"


Ficou no Rio Grande do Sul até 2001 quando resolveu sair, de forma polêmica, do clube que o revelou. Na França, foi rei, e fez chover em todo lugar onde pisou.

Com as atuações de gala no PSG, o meia chegou com moral na Copa do Mundo em 2002 e não decepcionou. Apesar de muitos "especialistas" afirmarem que não foi importante no Mundial, o então camisa 11 se mostrou bem mais solidário do que em outras oportunidades. Sob os comandos de Felipão, Ronaldinho atuou mais recuado do que estava acostumado e desempenhou um papel importante na recomposição do time. Além disso, o seu brilho individual prevaleceu em vários momentos. A partida mais marcante do meia no penta foi contra a Inglaterra. Deixou o Ashley Cole sem coluna e o Rivaldo na cara do gol para guardar, além de marcar uma pintura de falta. Ainda foi expulso e ficou de fora da semi-final. 

Após ser campeão do mundo, o melhor ainda estava por vir. Com várias propostas em mãos, inclusive uma do Manchester United muito superior a do Barcelona, Ronaldinho resolveu ir para o Barcelona. Foi na Catalunha que a magia foi mostrada ao mundo e que o Bruxo foi eleito duas vezes melhor do mundo. No Barça, ressuscitou os 'culés' e trouxe a glória de volta ao clube. Campeão da Liga dos Campeões e bi-campeão espanhol, Ronaldinho levou a Barcelona o seu sorriso que contagiava todos que lotavam o Camp Nou para vê-lo. 



Durante sua carreira ainda passou com alguns lampejos de genialidade por Milan e Flamengo. No Rubro-Negro italiano, o meia ainda foi líder de assistências e marcou algumas pinturas. No Rio de Janeiro fez parte do 'Bonde do Mengão sem Freio' e protagonizou uma virada épica na Vila Belmiro sendo a sua grande atuação com a camisa do Fla. 

Após uma saída conturbada para o Atlético/MG, o Bruxo deu seus últimos espetáculos e mostrou que a sua genialidade transcende qualquer limitação física.

No Galo, conquistou a Libertadores da América com atuações que lembravam aquele Dinho que nós estávamos acostumados a ver. Quem não se lembra das partidas magistrais contra o São Paulo ? Do golaço contra o Arsenal de Sarandi ? As cores preto e branco pulsaram nas veias dele!

Sem esmiuçar muito a sua carreira, esse foi um pequeno resumo que do que Ronaldinho fez para o futebol, mas o que ele representou é muito maior. Sinônimo de alegria dentro e fora das quatro linhas, sorriso a cada drible, esse era o Ronaldinho. Ronaldinho é a personificação do futebol, ou seja, alegria a cada jogada. Para ele, nunca foi trabalho e quando se tornou, preferiu sair. Para você, vários jogadores podem ter sido melhor , mas nenhum representou o futebol na essência como ele. Diversão a cada lance, sorrisos distribuídos a cada drible e um recurso técnico que poucos tiveram. Parafraseando nossos parceiros do Cenas Lamentáveis, a molecada se viu no Ronaldinho. Assim como nós, ele não joga futebol, ele brinca de bola. 



16 março 2017

Millwall: Quem são seus torcedores

No último domingo (12), Tottenham e Millwall disputaram a partida para quem iria seguir para as semifinais da FA CUP. Os gols de Eriksen, Son (3), Dele Alli e Janssen não foram só os maiores destaques do dia.

O pré-jogo também foi marcado pela briga entre os hooligans das duas equipes fora do estádio. Dentro de campo, os Spurs massacraram o adversário pelo placar de 6 a 0, mas fora dele, ambos os times deixaram muito a desejar.

Apesar de o Millwall estar atualmente na terceira divisão do campeonato inglês, seus torcedores vão além do fanatismo e brigam contra qualquer um que estiver a sua frente, seja ele grande ou não.

Fundado em 1885 por trabalhadores da fábrica de geleias JT Morton, os Lions, apelido dado à instituição esportiva, é uma das torcidas mais violentas do país, “disputando território” com o West Ham, seu maior rival.

Segundo a mídia na Inglaterra, o Millwall chega a ser a torcida mais violenta da “Terra da Rainha”, e uma das cinco mais violentas do mundo. O lema dos Buschwackers, grupo hooligan desta equipe é “ninguém gosta de nós,  nós não gostamos de ninguém”.

O hooliganismo destes indivíduos chega a ser extremo, e com isso citaremos outros casos de briga e tumultuo dos Buschwackers.





1978- Millwall vs Ipswich Town.

O confronto era por mais uma partida da FA Cup daquele ano. Os dois times jogaram no antigo The Den, casa do Milllwall. As brigas se espalharam ao redor do estádio antes do apito do árbitro. Torcedores da equipe visitante foram encurralados sob um ataque de torcedores do Milwall, que atiravam tijolos e pedras. Barras de ferro e garrafas também foram usadas pelos mesmos, que não contentes por brigarem nas arquibancadas, acabaram indo também para o campo. Discussões a parte, o Ipswich venceu a partida por 6 a 1.






1985 – Luton Town vs Millwall.

Desta vez os Lions jogavam fora de casa, também pela FA Cup. A partida foi suspensa pelo árbitro David Hutchison, devido à violência entre os torcedores de ambas as equipes no local. Insatisfeitos, os hooligans ficaram mais enfurecidos e invadiram o campo, quebrando vários assentos. Ao todo foram 81 pessoas levadas para o hospital.



2002 – Millwall vs Birmingham City.

A revolta dos torcedores do Millwall aconteceu em 2002, por uma partida válida nas semifinais dos play-offs de acesso à Premier League. Dentro do New Den, os Lions perderam por 1 a 0 do Birmingham e foram eliminados, depois de empatar na partida anterior contra os mesmos por 1 a 1. Descontrolados, os Buschwackers foram às ruas e confrontaram com os policias, utilizando tijolos, pedras e outros objetos que viam pela frente. Sete prisões foram registradas, além de incêndios e edifícios vizinhos danificados.

2009 – West Ham vs Millwall.

A rivalidade entre Buschwackers e Inter City Firm teve mais um caso de violência na Inglaterra. Por um jogo válido da Copa da Liga Inglesa, os dois rivais brigaram dentro e fora do campo, ultrapassando totalmente os limites que os policiais os deram para o jogo daquele dia. O West Ham ganhou o jogo, por 3 a 1.





Por mais que o Millwall Football Club não seja um time de “primeira”, seus fãs mostram que a divisão onde os Lions estão atualmente não tem relevância com o amor que eles sentem pelo clube. Seja grande ou não, os caras são fanáticos. 

Feito por: Robson Mateus 

14 março 2017

Libertadores 2017: O Botafogo na fase de grupos

Após classificação nos pênaltis, o Botafogo estreia na fase de grupos da Libertadores 2017 esta noite, às 21h, no Nilton Santos.


A fase de grupos da Copa Libertadores 2017, começou na última semana. Dos 8 representantes brasileiros na competição, apenas o Botafogo ainda não estreou. Hoje, (14), o fogão fará sua estreia —  nesta fase, já que disputou outras duas para se classificar.

A CLASSIFICAÇÃO

Assim como o Atlético Paranaense e ao contrário dos demais representantes do país, o Botafogo teve que disputar duas fases (2ª e 3ª) da competição, antes de chegar à fase de grupos, devido ao regulamento do campeonato brasileiro.

Após terminar o último campeonato brasileiro na quinta posição, o time comandado por Jair Ventura conquistou a vaga na chamada "pré-libertadores".  
Até chegar na atual fase, houveram outras três. Na segunda fase, o time estreou contra o Colo-Colo, do Chile. Venceu a primeira partida por 2 a 1 e, no jogo de volta, empatou em 1 a 1 na casa de adversário. Na terceira fase, o adversário foi o Olímpia, do Paraguai. Após vencer em casa por 1 a 0, o time acabou perdendo pelo mesmo placar no jogo de volta e a decisão foi para os pênaltis. Com três defesas de Gatito Fernandez, o clube da "estrela solitária" se classificou.

OS ADVERSÁRIOS

O Botafogo está no grupo 1 com: Atlético Nacional(COL), Barcelona de Guayaquil(EQU) e Estudiantes(ARG).

Atlético Nacional: Atual campeão da competição, o clube colombiano está na sua 19ª participação na Libertadores. Apesar de continuar sendo um time forte e perigoso, o favorito do grupo perdeu vários destaques do título: Borja, Guerra, Berrío, Marlos Moreno e Mejía, deixaram o clube após o mundial de clubes. Atualmente, é  Macnelly Torres, a referência da equipe.

Barcelona de Guayaquil:  Barcelona Sporting Club, conhecido como Barcelona de Guayaquil, é o clube que mais vezes disputou o campeonato equatoriano, estando na "série A" desde 1957. Esta será a 24ª participação da equipe que conta com o brasileiro Gabriel Marques no elenco. 

Estudiantes: O Estudiantes de La Plata é um dos maiores e mais tradicionais clubes de futebol da América do Sul, localizado na cidade argentina de La Plata, capital da Província de Buenos Aires. O time que é tetracampeão da Libertadores, conquistou seu último título em 2009, contra o Cruzeiro. O principal jogador da última conquista do time, também é o atual. Juan Sebastián Verón, retornou ao futebol após três anos de ter anunciado sua aposentadoria. O curioso, é que Verón também é o presidente do time.

EXPECTATIVA DA TORCIDA

Na sua 5ª participação, o clube de General Severiano contará com o apoio da torcida que promete lotar o Nilton Santos. Com quase 30 mil ingressos vendidos antecipadamente, a torcida deve esgotar o 39 mil lugares colocados à venda.

DIA DE FESTA

Esta terça-feira é dia de comemoração no Botafogo. Antes mesmo da estreia na fase de grupos, o técnico Jair Ventura têm motivos para estar feliz. Completando, hoje, 38 anos, Jair quer a vitória como presente.

O JOGO

O adversário da estreia é o Estudiantes(ARG). Por conta de uma suspensão antiga que não foi cumprida, o presidente/jogador Verón está fora. Com isso, os olhares se voltam para o jovem Santiago Ascacibar, capitão da seleção argentina sub-20 que se classificou para o Mundial. Ele é o jogador mais regular da equipe e de maior destaque, sem o "presida".

Apesar de ter 4 títulos na competição, o clube de La Plata tem um time jovem e rápido no contra-ataque. Entretando,  o time deve ter dificuldades no ritmo de jogo, assim como seus compatriotas tiveram na competição. Com a greve no futebol argentino, o campeonato nacional retornou apenas no último final de semana, depois de 80 dias de paralisação.

O BOTAFOGO

O time já está definido e contará com as presenças de Camilo e Montillo no meio, principais jogadores do time.


Com Camilo e Montillo no meio, o Botafogo está definido. (Imagem: Arte Esporte)

O Estudiantes definido sem Verón, suspenso. (Imagem: Arte Esporte)



Local: Estádio Nilton Santos, Rio de Janeiro (RJ)
Horário:  21h (horário de Brasília)
Provável Botafogo: Gatito Fernández; Marcelo, Carli, Emerson Silva e Victor Luís; Airton, Bruno Silva, Camilo e Montillo; Pimpão e Roger. Téc: Jair Ventura
Desfalques: Jefferson, Luis Ricardo, Gustavo Bochecha, Jonas, Leandrinho e Matheus Fernandes (DM)
Pendurados: Airton
Provável Estudiantes: Andújar, Sánchez, Schunke, Desábato e Dubarbier; Solari, Ascacibar, Damonte e Rodríguez; Otero e Viatri. Téc: Nelson Vivas 
Arbitragem: o trio de arbitragem é uruguaio. Jonhatan Fuentes apita o jogo, auxiliado por Nicolas Taran e Richard Trinidad

Por: Mateus Marques


12 março 2017

Péssimo Esporte Clube


Na semana do Dia Internacional da Mulher, o time mineiro Boa Esporte anunciou a contratação do goleiro Bruno Fernandes, ex atleta de Flamengo e Atlético-MG. Bruno estava preso desde 2010, acusado do assassinato da sua ex-companheira, Eliza Samudio. A condenação do goleiro saiu em 2013, a pena foi de 22 anos e 3 meses, mas desde então, como não teve seu recurso julgado, ele conseguiu a liberdade provisória no dia 24 de fevereiro. A decisão foi assinada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello.

Após a contratação tornar-se pública, as críticas nas redes sociais começaram em grande escala. Mesmo com inúmeras reclamações por todos os tipos de mídias, a diretoria afirmou em nota oficial que segue com o contrato e que está exercendo o seu papel social de ressocialização. 

A pergunta que fica é: se Bruno não tivesse uma história de fama em seu currículo e não fosse jogador profissional, esse papel social seria o mesmo?

Para além do contexto de ressocialização, o valor que está sendo dado para a vida de uma mulher é zero. Um homem que foi condenado e estava preso foi contratado em tempo recorde e tratado como herói desde a saída do presídio, visto que no dia em que recebeu autorização para sair, uma legião de fãs estava o esperando para tirar fotos e pedir autógrafos. A criança que cresce sem a mãe e que vai conviver com o fato de o pai ter mandando matá-la, não é lembrada. Os requintes de crueldade usados para matar e ocultar o corpo de Eliza também não.

Um dia após a notícia da contratação, o Boa Esporte perdeu seu primeiro patrocínio. A empresa de nutrição, Nutrends, anunciou a retirada imediata do apoio à equipe de Varginha (MG). Outro grande patrocinador, a Kanxa, vem sofrendo cobranças via redes sociais para também romper o contrato. Mesmo com esse revés o time continua mantendo o posicionamento.

O goleiro vem sendo tratado como ídolo e como um grande reforço para a equipe. Numa semana em que os direitos da mulher são debatidos mundialmente, o caso ganhou grande proporção e traz uma grande reflexão. Dentro do futebol a mentalidade machista ainda é muito nítida, infelizmente, a violência e o assassinato de Eliza parecem não ter tido valor algum no peso da contratação do goleiro.

A violência contra a mulher é um tema que precisa ser debatido em todos os âmbitos sociais, dentro do espaço do futebol também, pois ainda existem vários tabus quanto a mulher no futebol. Esse é um debate necessário, pois vemos casos parecidos com o de Bruno e Eliza diariamente. A novela da contratação segue e as cenas dos próximos capítulos estão sendo aguardadas pelo público. 

Wanessa Caitano 

09 março 2017

Libertadores 2017: O Santos vem forte para a competição

O Santos vem como um dos favoritos para a Libertadores 2017

Hoje o Santos estréia pela Libertadores 2017 contra o Sporting Cristal do Peru pelo grupo 2 da competição.

O Peixe já tem tradição na Copa Libertadores, esta é a 14ª participação do clube na competição, campeão em 1962, 1963, 2011 e vice campeão em 2003 o Santos busca retomar sua força na Libertadores.

Em 2014 na sua última participação, o Santos de Neymar foi eliminado na semi-final em um duelo contra o Corinthians que víria a ser campeão na época, com o Peixe ficando em 3° colocado.

O Grupo 2 é composto assim: Santos, Santa Fé (Colômbia), The Strongest (Bolívia), Sporting Cristal (Peru) 

O Alvinegro terá que se deslocar 20.444 Km para os jogos fora de casa na fase de grupos, isso pode ser um problema se não for algo bem traçado e preparado pela diretoria e comissão técnica.

Um dos trunfos Santista para se dar bem na Libertadores é a Vila Belmiro

Vila Belmiro sempre foi e continua sendo um grande trunfo para o Santos, em um estudo feito no final do ano passado foi apontado um aproveitamento de 70,5% de aproveitamento do Peixe em seus domínioso clube praiano até a data do estudo feito tinha atuado 2207 vezes em sua praça de esportes – tendo vencido 1413, empatado 434 e perdido 360 delas. 

A Vila lotada se torna um verdadeiro alçapão pressionando o adversário que enfrenta o Peixe, e essa ligação do time com a torcida na libertadores pode ser fundamental.



O artilheiro Ricardo Oliveira esperança de gols está de volta ao time na estreia de hoje

O Peixe hoje tem praticamente força máxima para a estreia, apenas com Vanderlei de fora que ainda se recupera por uma fratura no dedo anelar, Dorival Júnior terá as voltas de Renato após dores musculares, Lucas Lima após um trauma no joelho e o centroavante Ricardo Oliveira que volta após um profundo corte na orelha e que vinha também recuperando massa muscular perdida devido a uma caxumba no inicio do ano, além de ter inscrito o atacante Vladimir Hernández que pode estrear em partidas oficiais hoje pelo clube.

Ano esse de muita cobrança da torcida para com o elenco e comissão técnica, Lucas Lima foi alvo de muita cobrança após a derrota no clássico contra o São Paulo, e Dorival já balança no cargo devido a uma falta de regularidade do time dentro de campo.
A realidade é que a torcida se acostumou com o time santista jogando um futebol bonito e ofensivo, coisa que não foi vista no inicio da temporada 2017, muito por conta de lesões que impossibilitaram Dorival de manter uma base titular.

Dorival deve ir a campo com o que tem de melhor no momento, o técnico tinha dúvida na defesa entre David Braz ou Lucas Veríssimo e no ataque pela esquerda a dúvida era entre Copete ou Bruno Henrique, pelos treinos feitos e por informações o treinador deve entra com esse time abaixo:

   12 - Vladmir

4 - Victor Ferraz     14 - David Braz                2 - Cleber       3 - Zeca


                                      8 - Renato 
                                     29 - Thiago Maia


10 - Lucas Lima


             7 - Vitor Bueno                                             18 - Copete

 9 - Ricardo Oliveira


Com esse time que o Peixe deve entrar em campo na sua estreia hoje pela Libertadores 2017 ás 21:45, no estádio Nacional, em Lima, Peru.

Estaremos ligados em mais um brasileiro em campo pela Libertadores e na torcida para que o alvinegro praiano possa estrear com o pé direito na competição.



Feito por: Glayson Saunders

08 março 2017

Libertadores 2017: Flamengo e o desafio de mostrar a que veio





O grupo 4 da Copa Libertadores é, de longe, o mais complicado do torneio, é o tal: GRUPO DA MORTE. Flamengo, Atlético-PR, Universidad Católica e San Lorenzo irão se enfrentar em jogos de ida e volta, as quatro equipes já foram finalistas da competição, só o rubro negro carioca e o time argentino conseguiram levantar La Copa.

A libertadores é de longe o campeonato mais complicado do continente sul americano. Não existe jogo fácil, para ninguém, os adversários vão desde uma hostilização na chegada ao campo de jogo a dificuldade de atuar numa altitude.  

Rivais do Flamengo

O San Lorenzo é o "inimigo" que deverá lutar pela primeira posição do grupo com os cariocas. Os argentinos, campeões em 2014, tem um time forte e ainda mantém parte do grupo que levou o clube ao topo máximo do campeonato três anos atrás. Torrico, Ortigoza e Mercier são alguns dos remanescentes daquela conquista, além deles o time conta com: Angeleri, Coloccini, Corujo, Belluschi e Blandi como nomes fortes do clube azulgrana

O Atlético-PR, assim como o clube carioca, tem um time bem encaixado e com nomes bem experientes,veja o especial que preparamos sobre o time paranaense

O último é não menos perigoso, é a Universidad Católica. O time chileno conta com jogadores argentinos e uruguaios, ou seja, a velha catimba não vai faltar nos confrontos entre os clubes. Além disso o clube manda seus jogos num estádio bem acanhado.

Erros e Acertos

O Flamengo vem com sua base pronta há quase um ano. O treinador Zé Ricardo conseguiu encaixar um estilo de jogo onde consegue pressionar o adversário e manter a posse de bola, o time carioca quase sempre impõem sua forma de jogo diante do adversário. A forma de jogar da equipe agrada a torcida, porém a seca de títulos é algo que preocupa os rubro-negros. O grupo é recheado de jogadores experientes: Muralha, Rever, Rômulo, Diego e Guerrero formam uma base sólida. Mas o elenco não conta com grandes peças de reposição, a grande contratação do clube para a competição foi o colombiano Orlando Berrío, que teve grande destaque no vitorioso Atlético Nacional.


O Palmeiras na Libertadores


O Palmeiras faz nesta terça(3) sua estreia na Libertadores 2017. O atual campeão brasileiro está no grupo 5 com Atlético Tucumán-ARG, Jorge Wilstermann-BOL e Peñarol-URU.

Resultado de imagem para palmeiras 2017

O PALMEIRAS

Como já falamos aqui no blog(clique aqui), o Palmeiras sofreu várias mudanças após o título brasileiro. O time perdeu seu treinador Cuca, o destaque Gabriel Jesus e ainda sofreu com lesões de jogadores importantes no início da temporada. Sem Moisés e Tchê Tchê  responsáveis pela organização do meio campo da equipe no brasileirão  Eduardo Baptista teve que testar novas peças, e ele têm muitas. 

Chegaram para reforçar o time: Felipe Melo, Keno, Hyoran, Michel Bastos, Raphael Veiga, Alejandro Guerra e Borja. Os dois últimos, aliás, agregam muito ao elenco na libertadores. Vindos do atual campeão da competição sul-americana, o Atlético Nacional de Medelín, Guerra e Borja foram fundamentais para o alviverde colombiano.

OS ADVERSÁRIOS

Mesmo sendo o favorito do grupo, é preciso ter cuidado, os adversários têm história, inclusive nesta atual libertadores.


Atlético Tucumán: O clube argentino de San Miguel de Tucumán, foi fundado em 27 de setembro de 1902. Apesar dos 114 anos de fundação, o time está na sua primeira competição internacional e começou fazendo história antes de chegar na fase de grupos. Após empate em casa contra o Nacional-EQU, por 2 a 2, o time passou por uma aventura antes do jogo de volta: o voo para o Equador atrasou, e o time chegou sem uniformes ao estádio. Com liberação para o utilizar o uniforme da seleção argentina Sub-20, que disputava o Sul-Americano no Equador, o clube chegou com quase uma hora de atraso ao estádio e, de forma heroica, venceu por 1 a 0. Na terceira fase, sem tanto sufoco, o Tucumán eliminou o Junior Barranquilla por 3 a 2 no placar agregado.

Escalação: O time de Pablo Lavallén deve ir a campo com: Cristian Lucchetti; Leonel Di Plácido, Bruno Bianchi, Ignacio Canuto, Fernando Evangelista; Rodrigo Aliendro, Guillermo Acosta, Nery Leyes, David Barbona (Leandro González); Cristian Menéndez e Fernando Zampedri.

Jorge Wilstermann: Fundado em 24 de novembro de 1949(67 anos), o Club Deportivo Jorge Wilstermann fará sua 17ª participação na "liberta" e conta com dois brasileiros, o zagueiro Alex Silva, o "pirulito" e o meia Thomaz, no seu elenco. Uma das equipes grandes e populares da Bolívia, o "Aviador" (por ter sido fundado por um grupo de  funcionários da companhia aérea Lloyd Aéreo Boliviano) classificou-se como o campeão do Torneio Clausura, de seu país.

Escalação: Olivares; Morales, Alex Silva, Zenteno e Aponte; Machado e Saucedo; Bergese, Chávez e Thomaz; Ríos. Técnico: Roberto Mosquera.

Peñarol: Carregando cinco(5) títulos da competição, o Peñarol é o mais conhecido dos três adversários. Nesta edição, o clube fará sua 44ª participação, dividindo  o posto de maior participante com o seu rival, Nacional(URU), que está no grupo 7, com a Chapecoense. Embora seja muito experiente e vencedor, o time uruguaio não vem fazendo jus à sua grandiosa história. A última vez que a equipe chegou a final foi em 2011, quando acabou perdendo para o Santos.

Escalação: Guruceaga; Silva, Villalba, Ramon Arias e Hernández; Pereira, Nández, Cristian Rodríguez e Costa; Junior Arias e Gastón Rodríguez. Técnico Leonardo Ramos.

A ESTREIA

A partida que marcará a estreia do Palmeiras na libertadores 2017, contra o Atlético Tucumán, também será a primeira vez que o técnico Eduardo Baptista comandará uma equipe na competição. E, logo de cara, o treinador e seus comandados terão que enfrentar o tabu de só ter vencido uma vez na competição atuando em terras argentinas. Desde 1961, quando venceu o Independiente por 2 a 0, o verdão não sabe o que é comemorar uma vitória jogando fora de casa contra os hermanos. Inclusive, na última edição da competição, o time do palestra também enfrentou um "hermano" no em seu grupo, o Rosário Central, e acabou empatando por 3 a 3, em Rosário.

O CLIMA DA PARTIDA

O Atlético Tucumán mandará suas partidas em um estádio acanhado, daqueles que a arquibancada fica muito perto do campo. Com capacidade para cerca de 30 mil torcedores, que devem fazer uma pressão enorme contra os brasileiros, o Monumental José Fierro será o local da partida.

ESCALAÇÃO

Com os desfalques de Yerry Mina, Thiago Martins, Tchê Tchê, Moisés e Fabiano, o Palmeiras deverá ter um time com mais marcação no meio campo. Ainda com uma dúvida na parte ofensiva, o time de Eduardo Baptista deve ir a campo com: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio; Thiago Santos, Felipe Melo, Zé Roberto, Michel Bastos(Willian) e Dudu; Borja (4-2-3-1).

Ficha Técnica

Horário:  21h45 (horário de Brasília)

Local: Estádio Monumental José Fierro

Prováveis escalações:

Palmeiras: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio; Thiago Santos e Felipe Melo; Michel Bastos (Willian), Zé Roberto e Dudu; Borja.

Atlético Tucumán: Cristian Lucchetti; Leonel Di Plácido, Bruno Bianchi, Ignacio Canuto, Fernando Evangelista; Rodrigo Aliendro, Guillermo Acosta, Nery Leyes, David Barbona (Leandro González); Cristian Menéndez e Fernando Zampedri.

Arbitragem: Mario Diaz de Vivar, auxiliado por Eduardo Cardozo e Milciades Saldivar, todos do Paraguai






Por: Mateus Marques





c