Blogroll

               

21 maio 2017

Em um campeonato cheio de estrelas, brilhou a de Antonio Conte, campeão da Premier League 2016-17



A temporada 2016-17 no Campeonato Inglês já terminou. As trinta e oito rodadas já foram concluídas e o Chelsea foi campeão da competição. 

Logo antes de começar a Premier League, falavam-se muito nos dois maiores técnicos da cidade de Manchester: José Mourinho e Pep Guardiola. O primeiro, sério e autoritário, já era bem conhecido do futebol inglês, pois já havia faturado o 'caneco' três vezes pelos Blues. Diante agora de um time poderoso e milionário - tanto quanto o Chelsea-, Mourinho tinha a missão de ganhar mais um título no país, mas agora com os Red Devils. O seu elenco estava recheado de peças importantes e fundamentais como o goleiro De Gea, o atacante Rooney e seus novos contratados Pogba e Zlatan Ibrahimovic

Já há poucos quilômetros dali, o multicampeão Guardiola, no comando dos citizens, também estava na briga do Inglês. Especulado para ser o protagonista da equipe, o espanhol, aproveitou o mercado de transferências, e trouxe com ele o meia Leroy Sané, o goleiro Claudio Bravo, o zagueiro Stones, o volante Gundogan e o atacante brasileiro Gabriel Jesus para reforçarem o seu elenco.


Parecia que ambos os times brigariam ponto a ponto para á conquista do grandioso título.


Vale ressaltar que Marcelo Pochettino, Arsene Wenger e Jurgen Klopp, já veteranos no país, também eram os medalhões que faziam a Premier League ser mais forte do que já era. Porém dentre os técnicos e ótimos jogadores dos vinte clubes participantes, brilhou a estrela de um técnico e de um time que jogava um pouco diferente dos outros gigantes. O novo técnico do Chelsea, o italiano Antônio Conte, não era o mais especulado nas casas de apostas à vencer logo de cara a sua primeira taça na Terra da Rainha. Era provável de que o ex-treinador da seleção italiana estaria na quarta ou quinta posição dos que iriam faturar o campeonato. Na 'janela de transferências', Conte trouxe jogadores pouco conhecidos, mas que tinham vontade de vencer. Vieram o lateral-esquerdo Marcos Alonso, o zagueiro David Luiz, o volante francês Kanté e o ex-atacante do Olympique de Marselha, Michy Batshuayi. Parecia que eram apenas contratações que vinham para somar e nada mais. Errado. Eles chegaram para ser campeões.


O Chelsea, que na temporada passada não havia conseguido sequer uma vaga na Liga dos Campeões, parecia um time esquecido pela mídia e não favorito a brigar com os grandes pela liderança.. Quem diria que Victor Moses seria uma boa peça para o esquema do italiano? E Eden Hazard, que junto com Diego Costa, não fizeram uma boa temporada na época quando o time ainda era comandado por Guus Hiddink?


Antonio Conte dobrou as mangas e foi junto com todos os jogadores em busca do sonho. A chegada do ex-técnico da Juventus fez o time jogar diferente, tanto é que o seu esquema formado por três zagueiros (David Luiz, Cahil e Azpilicueta) já estava fazendo efeito nas primeiras rodadas. O time foi quase imbatível e conseguiu fazer noventa e três pontos em trinta e oito jogos; Seu aproveitamento com os Blues foram de 81,6 por cento, sendo o segundo time a ter melhor saldo de gols (cinquenta e dois ao todo), perdendo apenas para o Tottenham (com sessenta).


Isso tudo mostra que para ser campeão não precisa ter somente nome e brilho. É preciso que tenha um time forte e jogadores que se desempenhem ao máximo jogo após jogo, lutando por todas as bolas que estiverem em campo.



Parabéns ao Chelsea pela excelente temporada e ao título, e claro,dando méritos também a Conte, que em seu primeiro ano dirigindo o clube, já deixou muitos londrinos felizes. 





Feito por: Robson Mateus

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

c