Blogroll

               

24 maio 2017

Xabi Alonso: Uma lenda do meio-campo que deixará saudades





Neste final de temporada pela Europa, muitos jogadores fizeram ótimas partidas e ajudaram bastante o seu times a serem campeões. O Bayern de Munique, por exemplo, soberano na Alemanha e grandioso no velho continente, foi campeão com folga em seu campeonato nacional graças aos seus craques que, inspirados, levantaram mais uma vez o troféu de campeão. 

Todavia, o destaque maior no final da competição não foi somente o título do time da Baviera. Dentre comemorações a parte, uma saudade imensa será deixada no elenco de Carlo Ancelotti. O meio-campista espanhol Xabi Alonso, 35 anos, se aposentou dos gramados mundiais neste ano. É claro que não devemos esquecer que além dele, Philipp Lahm também pendurou suas chuteiras.

Poderemos até escrever sobre o ex-lateral alemão, mas neste momento, o encanto fica somente para o dono dos passes longos da Espanha. 




O ex-jogador de Real Madrid, Liverpool e tantos outros clubes onde passara, tinha uma genialidade incrível para armar suas jogadas. Era o cara excepcional para qualquer time que estivesse precisando de uma ajudinha básica entre defesa, meio-campo e ataque. Sempre com a cabeça reta e olhando para seus companheiros, o ex-atleta de Real Sociedad e Eibar era a "cabeça pensante" do time. Se a equipe estivesse no desespero, podia tocar a bola para ele que, com certeza, resolveria. 

No Liverpool, onde teve seu protagonismo ao lado de Steven Gerrard, Alonso foi importantíssimo para o time na conquista da Liga dos Campeões na temporada 2004-05. Além de uma ótima partida, ele fez o gol de pênalti quando os Reds estava perdendo para o Milan por 3 a 2. O empate foi dele. Depois daí, todo mundo sabe a história.




Pelo Real Madrid, Xabi Alonso também foi importante para o clube merengue em suas cinco temporadas no maior time da Espanha. Por lá, conquistou títulos importantes como o Campeonato Espanhol na temporada 2011-12 e a Champions League na temporada 2013-14. Foi mais uma das contratações milionárias de Florentino Perez que deram certo. 

Mas já nos seus trinta e poucos anos, Alonso acabou saindo do Real Madrid e indo parar na Alemanha para jogar no Bayern. A ida de Tony Kross para os Blancos fez o volante espanhol ser uma moeda de troca para a equipe do novo técnico da época, Pep Guardiola. Por lá, o ex-camisa quatorze da seleção ganhou tudo o que tinha direito. Tricampeão seguido do Nacional, Copa da Alemanha e Super Copa em três anos de clube.

Já na seleção de seu país, vale mencionar o título da Eurocopa de 2008 e 2012; e da Copa do Mundo de 2010, sendo o primeiro da Espanha.

Xabi Alonso não era aquele jogador que corria para todo mundo. Não era aquele que gastava milhares de calorias para buscar o seu gol. Ele não precisava de tudo isso. Sua categoria era tão grande que apenas um simples lançamento para o ataque já nos deixava com os olhos abertos e cheios de emoções. Era o homem de uma precisão incrível. 

O espanhol era fera, e será mais um daqueles que deixará saudades para os amantes do bom e velho futebol. Valeu, maestro! 




Feito por: Robson Mateus

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

c